Vinhos e Petiscos

Harmonização

Estes são os melhores vinhos para acompanhar petiscos

Conheça os melhores vinhos para acompanhar petiscos, desde pataniscas de bacalhau a salada de polvo… Inspire-se!
Atualizado a 31/01/2024
Há algo de muito português nisto de juntar amigos à mesa e partilhar pequenos pratos à boleia de um copo de vinho e dois dedos de conversa.

A combinação é perfeita e está inscrita no nosso ADN de gente petisqueira que se emociona com um pastel de Chaves estaladiço ou faz quilómetros para ir comer leitão.

A arte de petiscar é essa apurada forma de estar, com a comida e o vinho a servir de pretexto para contar histórias de família, construir uma amizade única ou simplesmente escrever a história de um momento que se guarda para sempre.

Vinhos com aromas mais moderados são os melhores para as entradas.

Como consumir petiscos

A mesa está posta para o almoço e a luz que entra pela janela ilumina um conjunto colorido de pratos e pratinhos, alinhados numa espécie de ritual, mas sem ordem aparente.

Se quiser impressionar os seus convidados, siga as sugestões do Continente para algumas entradas fáceis de fazer em sua casa.

Ao centro, mais à esquerda, junto ao cesto do pão, coloque azeitonas temperadas com orégãos e casca de laranja e à frente acrescente meia dúzia de pastéis de bacalhau, um por cabeça.

Ali ao meio, um pratinho de moelas faz sombra à salada de polvo, com a dose certa de salsa picada. Atrás, escondidos, uns carapauzinhos de escabeche, a perder protagonismo para o reluzente queijo de Nisa que pede para ser cortado.

Ao lado, quase ao alcance da mão, esperam os adorados pastéis de massa tenra, leves e delicados. Com tantas relíquias em cima da mesa, dará por si distraído da conversa, a olhar cada um destes petiscos e a pensar que não chega a hora de os provar.

Como acompanhar petiscos com vinho
Se as suas entradas assumirem o papel tradicional de petiscos pequenos pré-refeição, o vinho espumante é uma excelente opção, em particular, ao lado de petiscos crocantes ou fritos. Sugerimos o Espumante São Domingos Millésime Doc Bairrada Branco Bruto, distinguido com a Medalha de Ouro nos Prémios Uva de Ouro 2023, ou o Espumante Villa de Corgos Blanc de Blancs Regional Beira Atlântico Branco Bruto, frutado e fresco.
Já os vinhos Rosé serão ótimas bebidas para acompanhar queijos, tapas ou carnes fumadas como o bacon, presunto ou salsichas. São vinhos altamente versáteis e adequados até mesmo para sabores mais intensos, podendo ser escolhidos em todo o ano, não apenas no verão.

A nossa recomendação vai para o Flor de Penalva DOC Dão Vinho Rosé, com um aroma discreto a cereja, ou o Pacheca Premium DOC Douro Vinho Rosé, com aroma fresco a fruta vermelha, groselha e morango. E, claro, não se esqueça de escolher também o melhor pão para servir com queijo.
Se gostar de pratos italianos (Antipasti), sirva-se com vinho branco. Sauvignon Blanc é uma escolha muito popular, como o Valmaduro Sauvignon Blanc Premium Regional Lisboa Vinho Branco, de frutas tropicais e florais, ou o Vinha da Valentina Sauvignon Blanc Regional Península Setúbal Vinho Branco, cremoso e refrescante.
Contudo, uma opção portuguesa como um Verdelho ou Antão Vaz também se adequa a petiscos como peixes fumados, alho assado, azeitonas, cogumelos e pepperoncini. Experimente o Albenaz Terraço Real Verdelho Premium Regional Alentejano Vinho Branco, complexo e intenso, ou o mais encorpado Vidigueira Antão Vaz Premium DOC Alentejo Vinho Branco.

Se preferir vinho tinto, a decisão é mais difícil, devido à grande variedade de aromas e sabores entre diferentes castas, regiões e produtores. Escolha castas portuguesas como a Touriga Nacional, uma das castas autóctones mais apreciadas em Portugal ou a Tinta Roriz, que muito tem contribuído para a complexidade e elegância dos vinhos portugueses.

Em alternativa, considere as castas francesas Syrah, Cabernet Sauvignon ou Alicante Bouschet.  A Syrah é apreciada devido à sua expressividade e riqueza de sabores. Já a Cabernet Sauvignon distingue-se pela estrutura robusta, taninos firmes e capacidade de envelhecimento. Por fim, a Alicante Bouschet é uma casta única, pois possui a característica de ter polpa e casca tintas, resultando em vinhos de cor profunda e intensa.
As nossas recomendações recaem sobre o Albenaz Escadaria Maior Premium Touriga Nacional DOC Douro Vinho Tinto, com paladar amplo e com várias camadas de complexidade, e o Cancellus Tinta Roriz Douro Vinho Tinto, com boa acidez e taninos bem integrados.
Quanto às castas francesas, considere o Albenaz Terraço Real Syrah Premium Regional Alentejano Vinho Tinto, com aroma a ameixa-passa, café e cacau, ou então o Tapada das Lebres Syrah Regional Alentejano Vinho Tinto, perfeito para mergulhar nos sabores do Alentejo.
Para experimentar a casta Cabernet Sauvignon, recomendamos o Encostas de Estremoz Cabernet Sauvignon Signature Regional Alentejano Vinho Tinto, com taninos bem vivos, ou o Vale do Rocim Alicante Bouschet Biológico Regional Alentejano Vinho Tinto, com concentração e acidez especialmente bem definidas.
Conclusão: vinho e petiscos são um par essencial e versátil

Em jeito de honra ao petisco, escolha o seu vinho predileto, o que mais diz sobre si ou o primeiro que se lembrar. Abra um vinho de que goste e sirva alguém primeiro.

Não há como partilhar um copo para salvar do esquecimento aquelas amêijoas à Bulhão Pato ou a cabeça de Xara que não vive sem pão alentejano.

No Continente, terá ao seu dispor todos os ingredientes necessários para os seus petiscos favoritos, bem como os melhores vinhos para acompanhar.

Visite as nossas lojas ou aceda ao Continente online para conhecer todos os produtos que oferecemos.