Harmonização

O melhor vinho para acompanhar sushi

Se aprecia sushi, para além de outras opções da cozinha japonesa, descubra qual o melhor vinho para se juntar à mesa.
Sabia que é possível criar uma harmonização entre um vinho e os sabores fortes do molho de soja ou do wasabi? O mesmo é válido para combinar com a delicadeza dos peixes e vegetais, tão característicos da cozinha japonesa. Descubra qual o vinho que vai ser um excelente companheiro na próxima degustação.

Pratos japoneses a harmonizar com vinho

Sushi, sashimi ou temaki são palavras que entraram no léxico de quem passou a ter na cozinha japonesa mais uma opção de almoço ou jantar, de quem muito que gosta dos rolinhos coloridos, das tempuras crocantes ou das taças fumegantes de ramen. 

Contudo, a harmonização com os sabores fortes do molho de soja, do wasabi, ou com a delicadeza dos peixes e vegetais servidos ao natural não é fácil, abrindo a discussão sobre as melhores combinações. Os brancos e os rosés tomam a dianteira, mas os tintos também são opção. Saiba como escolher.

O melhor vinho para acompanhar sushi

O hábito europeu de servir vinho numa refeição de comida japonesa é apenas uma tentativa de escrever novos capítulos numa viagem há muito começada.

No entanto, pode existir alguma dificuldade na harmonização do vinho com ingredientes de sabores característicos desta gastronomia oriental, como é o caso do shoyu, do vinagre de arroz, do wasabi, do gengibre, saquê e outros.

Sushi 

Os pratos leves, como o sushi, pedem vinhos leves, já que os sabores da comida devem ser acentuados, e não sobrepostos pela bebida. A intensidade do vinho, assim como a sua cor e sabor, pode ir aumentando de acordo com a complexidade do conteúdo do prato. O sushi é bom companheiro de um copo de espumante rosé, onde a Touriga Nacional participe, ou de um Alvarinho, floral e cítrico, para realçar as texturas do arroz e do peixe.

Sashimi

Já o sashimi de atum pisca o olho aos tintos jovens que, não sendo escolha óbvia, podem ser uma boa surpresa também para as adoradas gyosas, com recheios de carne ou cogumelos.

Tempuras

Chegados às tempuras, fruto de uma técnica de confeção deixada pelos portugueses durante os Descobrimentos, a cozinha nipónica torna-se uma cornucópia de vegetais e marisco, pedindo a frescura do vinho verde ou de um branco mais mineral.

Sobremesa

Para a sobremesa, quando imperam sabores especiais pouco açucarados como o sésamo, a pasta de feijão encarnado, ou o chá verde, é hora de apelar ao doce de um Porto Ruby.

Gengibre

Se o prato escolhido tiver forte presença de gengibre, afaste-se dos tintos e experimente variedades brancas, já que vão proporcionar um equilíbrio de aroma e sabor.

Shoyo

Se o prato for servido à base de shoyo, que tem forte teor de sal, prefira os vinhos com maior nível de acidez.

Wasabi

O wasabi, por sua vez, eleva a sensação alcoólica do vinho, por isso, será bom harmonizá-lo com um vinho de baixa graduação de álcool.
Frutos do mar

Os vinhos brancos encorpados combinam bem com pratos mais cremosos ou preparados com frutos do mar, com sabor mais acentuado, como é o caso da vieira, da lula, do camarão, da lagosta ou, também, dos peixes mais gordurosos.

Yakisoba e yakitori

Para combinar com pratos quentes como yakisoba e yakitori, experimente um Pinot Noir ou um bom rosé.

Uma combinação de boas surpresas

Este é um convite para fazer brilhar os vinhos de castas portuguesas, e fundir culturas. Divirta-se a experimentar diferentes combinações e sabores.