O Crescimento do Bebé Passo a Passo
Etapas do Crescimento

O Crescimento do Bebé Passo a Passo

Observar um filho a crescer, fisicamente e em conhecimento, é uma das maiores maravilhas a que os pais podem assistir.

Este guia vai ajudá-lo a acompanhar este mesmo crescimento, para verificar se o seu rebento está a crescer de forma harmoniosa, em peso, comprimento e perímetro cefálico.

Vai ainda conseguir perceber se o seu desenvolvimento motor, visual, auditivo, da linguagem e do comportamento se está a processar de acordo com a média habitual para cada fase. Assim como testemunhar se o seu crescimento dentário se encontra dentro da média ou se os seus hábitos de sono são os mais adequados.

Para que ele cresça forte e saudável, encontra aqui diversas sugestões para uma alimentação saudável e informações sobre vacinação, desde as vacinas que são obrigatórias às opcionais.

Por fim, mas não menos importante, vai ter acesso a dicas sobre segurança infantil, de forma a conseguir evitar alguns acidentes, tão frequentes nestas idades.

Basta selecionar em que fase está o seu bebé para encontrar todas as informações sobre o seu desenvolvimento.

Tabela de Percentis Recém-Nascido

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

Peso Feminino Masculino
5 Percentil
2,5 Kg
2,6 Kg
25 Percentil
2,9 Kg
3,0 Kg
50 Percentil
3,2 Kg
3,3 Kg
75 Percentil
3,6 Kg
3,7 Kg
95 Percentil
4,0 Kg
4,2 Kg

Comprimento Feminino Masculino
5 Percentil
46,1 cm
46,8 cm
25 Percentil
47,9 cm
48,6 cm
50 Percentil
49,1 cm
49,9 cm
75 Percentil
50,4 cm
51,2 cm
95 Percentil
52,2 cm
53,0 cm

Perímetro Cefálico Feminino Masculino
5 Percentil
31,9 cm
32,4 cm
25 Percentil
33,1 cm
33,6 cm
50 Percentil
33,9 cm
34,5 cm
75 Percentil
34,7 cm
35,3 cm
95 Percentil
35,8 cm
36,6 cm
Dentes

Ainda não são visíveis dentes nesta idade.
Motricidade grosseira

  • O bebé parece confortável. Tem os braços e as pernas fletidos e simétricos.
  • Os movimentos são pouco controlados com exceção dos olhos, da cabeça quando está deitado e da sucção.
  • As mãos estão quase sempre fechadas. Agarra de forma involuntária o que lhe for colocado na palma da mão.
  • Pode mostrar um sorriso involuntário.
Sinais de Alarme:

  • Bebé demasiado rígido, demasiado "mole" ou demasiado "irritável".
  • Posturas assimétricas.

Audição e Linguagem

  • Reage quando ouve sons.
  • Todos os bebés devem fazer o rastreio da audição nas primeiras semanas de vida, de preferência ainda na maternidade.
Sinais de Alarme:

  • Não reage aos sons.
  • Não passa no rastreio auditivo.

Comportamento, autonomia e socialização

O bebé alterna entre diferentes estados: a dormir, sonolento, acordado, vígil e ativo, irritado ou a chorar.

Sinais de alarme:

  • O bebé permanentemente irritado ou a chorar.
O sono do bebé

  • Total de horas de sono por dia (em média): 16,5h
  • Média de horas à noite: 9h 
  • Média de horas durante o dia: 7,5h
Alimentação

O leite materno é o melhor alimento para o bebé. As recomendações são que o bebé deve ser alimentado, se possível, apenas com leite materno até aos seis meses de idade.

Nos primeiros tempos de vida, o horário da amamentação deve ser livre até o bebé adquirir um ritmo próprio. Habitualmente situa-se entre as 3 e as 4 horas de intervalo entre as refeições.

Em alguns casos pode ser necessário alimentar o bebé com um leite artificial, como complemento ou em alternativa ao leite materno. Esta decisão não deve ser tomada sem primeiro conversar com o pediatra que segue a criança.
Vacinas Obrigatórias

Estas vacinas fazem parte do Programa Nacional de Vacinação e são gratuitas.


Vacina contra a hepatite B (VHB) - 1ª dose

Reações adversas:

Em 5% dos bebés pode aparecer dor, rubor e uma tumefação ligeira no local da injeção. Em 1% a 6% dos bebés pode surgir febre durante um ou dois dias.


Vacinas Opcionais

A decisão da sua administração deve ser discutida com o Pediatra que segue a criança.


Vacina contra a tuberculose (BCG) - 1ª dose

A vacina contra a tuberculose (BCG) é recomendada apenas em grupos de risco desde 2017.

Reações adversas:
Na maioria das crianças aparece um pequeno nódulo vermelho no local da injeção que pode transformar-se numa pequena vesícula. Entre 2 a 4 semanas a vesícula transforma-se numa úlcera que cicatriza ao fim de 2-5 meses.
Em algumas crianças podem aparecer também pequenos gânglios no pescoço ou axila.
Cuidados a ter em casa

  • O berço deve ser sólido e sem arestas que possam magoar o bebé. A criança deve ser deitada de costas ou de lado, nunca de barriga para baixo. Não coloque no berço almofadas ou brinquedos.
  • O móvel para mudar a fralda deve ser estável. Antes de mudar a fralda certifique-se de que tem à mão tudo o que precisa. Não deixe o bebé sozinho nem por um instante e tenha sempre uma mão sobre a criança enquanto muda a fralda.
  • Antes de começar a dar banho, verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete anti-derrapante e nunca deixe o bebé sozinho na banheira mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.
  • Se aquecer um biberão no microondas, verifique sempre a temperatura do leite antes de o dar ao bebé. O biberão pode estar morno e o leite a ferver.
  • Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Cuidados com o bebé no carro

O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+ ("cadeirinhas" ou "ovos"). 

Estas cadeirinhas devem ser colocadas voltadas para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não podem ser instaladas num lugar onde exista um airbag ativo.

Nunca utilize uma alcofa para o transporte do bebé pois esta não confere segurança suficiente em caso de acidente.

Tabela de Percentis 1.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
3,3
3,6
25
3,8
4,1
50
4,2
4,5
75
4,6
4,9
95
5,2
5,5
COMPRIMENTO(cm)
5
50,5
51,5
25
52,4
53,4
50
53,7
54,7
75
55,0
56,0
95
56,9
57,9
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
34,6
35,4
25
35,8
36,5
50
36,5
37,3
75
37,3
38,1
95
38,5
39,2
Dentes
Ainda não são visíveis dentes nesta idade.
Motricidade grosseira
  • Quando o bebé está deitado de barriga para baixo levanta a cabeça de forma intermitente. Quando está deitado de barriga para cima e é puxado pelos braços para se sentar, não consegue controlar a cabeça, que cai para trás.
  • Quando sentado as costas desenham um arco.

Sinais de alarme
  • Quando o bebé está deitado de barriga para baixo, nunca levanta a cabeça de forma intermitente.
  • O bebé está demasiado rígido, demasiado "mole" ou demasiado "irritável".
  • Posturas assimétricas.

Motricidade fina e visão
  • As mãos estão quase sempre fechadas. Agarra de forma involuntária o que lhe for colocado na palma da mão.
  • A visão ainda é imatura. O bebé consegue ver apenas contrastes fortes e formas redondas, incluindo a face da mãe. Consegue seguir com o olhar na horizontal os objetos e a face humana quando estão a 20 cm de distância.
  • Pode apresentar um estrabismo convergente ocasional.

Sinais de alarme
  • Nunca fixa o olhar.
  • Nunca segue a face humana.
  • Apresenta movimentos erráticos dos olhos.

Audição e linguagem
O bebé reage aos sons emitidos a 15cm do ouvido, parando o que está a fazer ou olhando na direção de onde vem o som.

Sinais de alarme
  • Não reage ao som, nem mesmo à voz humana.
  • Não vira os olhos para o som.

Comportamento, Autonomia e Socialização
  • Consegue fixar a face humana quando está a ser alimentado.
  • O sorriso é ainda involuntário.
  • Emite sons guturais quando sente prazer.
  • Já consegue regular melhor os estádios sono/vigília.
  • É consolável quando chora.

Sinais de alarme
  • Bebé tem dificuldade em se manter alerta ou apresenta transições bruscas entre o sono e a irritabilidade.
  • Bebé permanentemente irritado ou a chorar.
Sono
  • Total de horas de sono por dia (em média): 15,5h
  • Média de horas à noite: 9h    
  • Média de horas durante o dia: 6,5h 
Alimentação

O leite materno é o melhor alimento para o bebé. Recomenda-se que o bebé seja alimentado, preferencialmente, apenas com leite materno até aos seis meses de idade.

Nos primeiros tempos de vida do bebé, o horário da amamentação deve ser livre até este adquirir um ritmo próprio, que normalmente fica entre as 3 e as 4 horas de intervalo entre refeições.

Em alguns casos, pode ser necessário alimentar o bebé com um leite artificial como complemento ou em alternativa ao leite materno.

Esta decisão não deve ser tomada sem conversar primeiro com o pediatra que acompanha o bebé.
Vacinação
Não existem vacinas obrigatórias ou opcionais nesta idade.
Medidas de segurança em casa
  • O berço deve ser sólido e sem arestas que possam magoar o bebé. A criança deve ser deitada de costas ou de lado, nunca de barriga para baixo. Não coloque no berço almofadas ou brinquedos.
  • O suporte para mudar fraldas deve ser estável. Antes de mudar a fralda, certifique-se de que tem à mão tudo o que precisa. Não deixe o bebé sozinho nem por um instante e tenha sempre uma mão sobre a criança enquanto muda a fralda.
  • Antes de começar a dar banho verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete antiderrapante e nunca deixe o bebé sozinho, mesmo que a quantidade de água seja reduzida.
  • Sempre que aquecer o biberão, verifique a temperatura do leite antes de o dar ao bebé. O biberão pode estar morno e o leite a ferver.
  • Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Medidas de segurança em viagem
  • O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção ("cadeirinha", "ovo" ou babycoque) do grupo 0 ou 0+. 
  • Este sistema deve ser colocado voltado para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não pode ser instalado num lugar com airbag ativo.
  • Nunca utilize uma alcofa para o transporte do bebé pois esta não confere segurança suficiente em caso de acidente.

Tabela de Percentis 2.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
4,1
4,5
25
4,7
5,1
50
5,1
5,6
75
5,6
6,0
95
6,3
6,8
COMPRIMENTO(cm)
5
53,7
55,1
25
55,7
57,1
50
57,1
58,4
75
58,4
59,8
95
60,4
61,7
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
36,3
37,2
25
37,4
38,3
50
38,3
39,1
75
39,1
39,9
95
40,2
41,1
Dentes
Ainda não são visíveis dentes nesta idade.
Motricidade grosseira
  • Quando deitado de barriga para baixo, o bebé ergue a cabeça e consegue mantê-la levantada durante alguns segundos. 
  • Quando está deitado de barriga para cima e é puxado pelos braços para se sentar, não consegue controlar completamente a cabeça, que cai um pouco para trás.
  • Quando sentado, as costas desenham um arco.

Sinais de alarme
  • Quando está deitado de barriga para baixo nunca levanta a cabeça.
  • Bebé demasiado rígido, demasiado "mole" ou demasiado "irritável".
  • Posturas assimétricas.

Motricidade fina e visão
  • As mãos estão quase sempre fechadas, mas podem abrir-se por instantes. 
  • Agarra de forma involuntária o que lhe é colocado na palma da mão.
  • A visão vai amadurecendo. Consegue ver contrastes fortes e formas redondas, incluindo a face da mãe. 
  • Consegue seguir com o olhar, na horizontal, os objetos e a face da mãe, a cerca de 20-30cm de distância.
  • Pode apresentar um estrabismo convergente ocasional.

Sinais de alarme
  • Nunca fixa o olhar.
  • Nunca segue a face humana.
  • Apresenta movimentos erráticos dos olhos.

Audição e linguagem
O bebé reage aos sons que o rodeiam até 15cm do ouvido, parando o que está a fazer e/ou olhando na direção de onde vêm os sons.

Sinais de alarme
  • O bebé não reage a sons, nem mesmo à voz humana.
  • Não vira os olhos em direção ao som.

Comportamento, Autonomia e Socialização
  • Consegue fixar a face humana.
  • O sorriso é ainda involuntário.
  • Emite sons guturais quando sente prazer.
  • Já consegue regular melhor os estádios sono/vigília.
  • É consolável quando chora.

Sinais de alarme
  • O bebé tem dificuldades em manter-se alerta ou apresenta transições bruscas entre o sono e a irritabilidade.
  • Está permanentemente irritado ou a chorar.
Rotina de sono
  • Total de horas de sono por dia (em média): 15,5h
  • Média de horas à noite: 9h    
  • Média de horas durante o dia: 6,5h 
Alimentação
Nos primeiros tempos de vida o horário da alimentação do bebé deve ser livre até que adquira o seu próprio ritmo, que normalmente varia entre as 3 e as 4 horas de intervalo entre as refeições.

O leite materno é o melhor alimento para o bebé e é recomendado até aos seis meses de idade.
Em alguns casos pode ser necessário complementar ou substituir o leite materno por um leite artificial.

Esta decisão não deve ser tomada sem primeiro conversar com o pediatra que segue a criança.
Vacinação obrigatória
As vacinas obrigatórias fazem parte do Programa Nacional de Vacinação e são gratuitas.

Vacina contra a Difteria, Tétano, Tosse Convulsa, Haemophilus influenzae b, Poliomielite e Hepatite B (DTPaHibVIPVHB) - 1ª dose, com exceção da Hepatite B (2ª dose)
Reações adversas:
Pode aparecer dor, rubor e uma tumefação ligeira no local da injeção. Em alguns bebés pode surgir de forma transitória (durante menos de um dia) febre, choro frequente, vómitos, diarreia, perda de apetite, irritabilidade ou sonolência. 
Nestes casos, deve contatar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral.

Vacina contra infeções por Streptococcus Pneumoniae de 13 Serotipos (Pn13) - 1ª dose
Reações adversas:
Pode aparecer dor, rubor e uma tumefação ligeira no local da injeção. Em alguns bebés pode surgir de forma transitória febre, irritabilidade, diminuição do apetite e aumento ou diminuição do sono.
Nestes casos, deve contactar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral.

Vacina meningocócica do tipo B - 1ª dose
Reações adversas:
Existe um risco aumentado de febre, sensibilidade local, alterações dos hábitos alimentares e irritabilidade.
Poderá ser aconselhado, preventivamente, a administração de paracetamol por via retal ou oral.


Vacinação Opcional
A decisão da sua administração desta vacina deve ser discutida com o Pediatra que segue a criança.

Vacina contra o Rotavírus - 1ª dose (esquema de 3 doses)
Reações adversas:
Pode aparecer de forma transitória febre, vómitos ou diarreia.
Segurança em casa
  • O berço deve ser sólido e sem arestas que possam magoar o bebé. A criança deve ser deitada de costas ou de lado, nunca de barriga para baixo. Não coloque almofadas ou brinquedos no berço.
  • O móvel muda-fraldas deve estar estável. Antes de mudar a fralda certifique-se de que tem à mão tudo o que precisa. Nunca deixe o bebé sozinho e mantenha sempre uma mão sobre a criança enquanto faz a troca de fraldas.
  • Antes de começar a dar banho verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete anti-derrapante e nunca deixe o bebé sozinho, mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.
  • Depois de quecer o biberão no microondas verifique sempre a temperatura do leite antes de o dar ao bebé. O biberão pode estar morno por fora, mas o leite pode estar a ferver.
  • Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Segurança em viagem
O bebé deve ser transportado em qualquer carro utilizando sempre um sistema de retenção ("cadeirinha", "ovo" ou "babycoque"). Nesta idade, opte por um sistema do grupo 0 ou 0+.

A cadeirinha deve ser colocada voltada de costas, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não pode ser instalada num lugar onde exista um airbag ativo para não magoar o bebé em caso de acidente.

Nunca utilize uma alcofa para o transporte do bebé no carro, pois esta não confere segurança suficiente.

Tabela de Percentis 3.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
4,7
5,2
25
5,4
5,9
50
5,8
6.4
75
6,4
6,9
95
7,2
7,7
COMPRIMENTO(cm)
5
56,3
58,1
25
58,4
60,1
50
59,8
61,4
75
61,2
62,8
95
63,3
64,8
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
37,5
38,6
25
38,7
39,7
50
39,5
40,5
75
40,4
41,3
95
41,6
42,5
Dentes
Ainda não são visíveis dentes nesta idade.
Motricidade grosseira
  • Quando está deitado de barriga para baixo, o bebé consegue levantar a cabeça e parte do tronco com o apoio dos antebraços.
  • Quando está deitado de barriga para cima, estica as pernas e dá pontapés de forma ritmada e simétrica.
  • Quando colocado de pé, o bebé apoia os pés mas flete as pernas não fazendo força para ficar de pé. 
  • Quando puxado para se sentar, mantém a cabeça alinhada com o tronco.

Sinais de alarme
  • O bebé não tem controlo da cabeça. Quando deitado de barriga para baixo não levanta a cabeça e quando puxado para sentar deixa a cabeça cair para trás.
  • Muito rígido ou muito "mole".
  • Sobressalto ao menor ruído.
  • Mexe-se pouco.

Motricidade fina e visão
  • O bebé consegue abrir e fechar as mãos e estas já não estão sempre fechadas.
  • Brinca com as mãos e leva-as à boca.
  • Tenta agarrar os objetos com a mão. Por exemplo, quando segura uma roca tenta levá-la à boca e consegue agitá-la.
  • Já é capaz de reconhecer as faces mais familiares a pouca distância.
  • Consegue seguir objetos e a face humana, não apenas na horizontal, mas também na vertical.
  • Pode apresentar um estrabismo convergente ocasional, principalmente quando procura fixar objetos muito próximos.

Sinais de alarme
  • As mãos estão sempre fechadas.
  • Não fixa o olhar e não segue objetos ou a face humana.

Audição e linguagem
  • O bebé reage muito bem aos sons e consegue olhar e virar a cabeça em direção ao som.
  • Reconhece a voz da mãe.
  • Emite monossílabos.
  • Já consegue imitar alguns sons.

Sinais de alarme
Deve procurar a ajuda do pediatra que acompanha o bebé quando este não vira os olhos ou a cabeça para os sons.

Comportamento, Autonomia e Socialização
  • O bebé já sorri de forma voluntária. 
  • Gosta de brincar com outras pessoas, principalmente com os pais e pode chorar quando a brincadeira acaba.
  • Já consegue imitar algumas expressões faciais.

Sinais de alarme
  • O bebé nunca sorri.
  • Chora e grita sempre que é tocado.
A rotina de sono do bebé:
  • Total de horas de sono por dia (em média): 15h
  • Média de horas à noite: 10h    
  • Média de horas durante o dia: 5h 
Alimentação
O leite materno continua a ser o melhor alimento para o bebé e, se possível, deve manter esta alimentação até aos 6 meses de idade.

Nos primeiros tempos de vida, o horário da amamentação deve ser adequado ao ritmo da própria criança, que geralmente se situa entre as 3 e as 4 horas de intervalo entre as refeições.

Em alguns casos, pode ser necessário alimentar o bebé com leite artificial como complemento ou em alternativa ao leite materno. Esta decisão deve ser tomada apenas após conversar com o pediatra que acompanha o bebé.
Vacinas Obrigatórias
Não existem vacinas obrigatórias nesta idade.

Vacinas Opcionais
Vacina contra o Rotavírus - 1ª dose (esquema de 2 doses)
A decisão da administração desta vacina deve ser discutida com o pediatra que acompanha a criança.

Possíveis reações adversas:

Pode aparecer de forma transitória diarreia ou irritabilidade.
Cuidados a ter em casa com o bebé
  • O berço deve ser sólido e sem arestas que possam magoar o bebé. A criança deve ser deitada de costas ou de lado, nunca de barriga para baixo. Não coloque no berço almofadas ou brinquedos.
  • O móvel para mudar a fralda deve ser estável. Antes de mudar a fralda certifique-se de que tem à mão tudo o que precisa. Não deixe o bebé sozinho nem por um instante e tenha sempre uma mão sobre a criança enquanto muda a fralda.
  • Antes do banho garanta que a temperatura da água está adequada. Coloque na banheira um tapete antiderrapante e nunca deixe o bebé sozinho na banheira, mesmo que a quantidade de água seja pequena.
  • Depois de aquecer biberão no microondas, verifique sempre a temperatura do leite antes de o dar ao bebé. O biberão pode estar morno e o leite a ferver.
  • Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Cuidados a ter no carro
  • O bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+ ("cadeirinha", "ovo" ou "babycoque"). 
  • A cadeirinha deve ser colocada voltada para trás, utilizando um cinto com 3 pontos de fixação. Não pode ser instalada num lugar onde existam airbags ativos.
  • Nunca utilize uma alcofa para transportar o bebé, uma vez que não confere segurança suficiente em caso de acidente.

Tabela de Percentis 4.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
5,2
5,8
25
5,9
6,5
50
6,4
7,0
75
7,0
7,6
95
7,9
8,4
COMPRIMENTO(cm)
5
58,5
60,5
25
60,6
62,5
50
62,1
63,9
75
63,5
65,3
95
65,7
67,3
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
38,5
39,7
25
39,7
40,8
50
40,6
41,6
75
41,4
42,4
95
42,7
43,6
Dentes
Ainda não são visíveis quaisquer dentes nesta idade.
Motricidade grosseira
  • Quando o bebé está deitado de barriga para baixo, consegue levantar a cabeça e parte do tronco com o apoio dos antebraços.
  • Quando está deitado de barriga para cima, a criança estica as pernas e dá pontapés de forma ritmada e simétrica.
  • Quando colocado de pé, o bebé já consegue apoiar os pés. Contudo, flete as pernas e não faz força suficiente para se manter de pé. 
  • Quando puxado para sentar, mantém a cabeça alinhada com o tronco.

Sinais de alarme
  • O bebé não controla a cabeça. 
  • Quando deitado de barriga para baixo, não levanta a cabeça.
  • Quando puxado para se sentar, o bebé deixa cair a cabeça para trás.
  • Muito rígido ou muito "mole".
  • Fica sobressaltado ao menor ruído.
  • Mexe-se pouco.

Motricidade fina e visão
  • O bebé consegue abrir e fechar as mãos. Brinca com elas e leva-as à boca.
  • Tenta agarrar os objetos com as mãos, agita-os e tenta levá-los à boca.
  • Consegue reconhecer as faces mais familiares a pouca distância.
  • Consegue seguir objetos e a face humana nna horizontal e na vertical.
  • Pode apresentar um estrabismo convergente ocasional, principalmente quando procura fixar objetos muito próximos.

Sinais de alarme
  • As mãos estão sempre fechadas.
  • Não fixa o olhar e não segue objetos ou a face humana.

Audição e linguagem
  • O bebé já reage muito bem aos sons. Consegue olhar e virar a cabeça em direção aos sons.
  • Reconhece a voz da mãe.
  • Emite monossílabos com frequência.
  • Já consegue imitar alguns sons emitidos por outras pessoas.

Sinais de alarme
  • Não vira os olhos ou a cabeça para o som.

Comportamento, Autonomia e Socialização
  • Sorri de forma voluntária. 
  • Gosta de brincar com outras pessoas, principalmente com os pais, e pode chorar quando a brincadeira acaba.
  • Já consegue imitar algumas expressões faciais.

Sinais de alarme
- O bebé nunca sorri.
- Chora e grita sempre que alguém toca nele.
O sono do bebé
  • Média global de horas de sono por dia: 15h
  • Média de horas durante a noite: 10h    
  • Média de horas durante o dia: 5h
A alimentação do bebé
O leite materno é o melhor alimento para o bebé. Recomenda-se que o bebé seja alimentado, se possível, apenas com leite materno até aos seis meses de idade.

Nos casos em que o bebé já está a ser alimentado com um leite artificial, como complemento ou em alternativa ao leite materno, a introdução dos primeiros alimentos pode começar nesta idade.
Esta decisão deve ser tomada desde que o bebé mostre sinais de estar pronto para iniciar a alimentação complementar e após acordo com o Profissional de Saúde que o acompanha.

Introdução dos primeiros alimentos
O primeiro alimento a ser introduzido nem sempre é consensual, pois depende do pediatra que segue o bebé.
Pode ser sugerida a introdução da papa de cereais sem glúten ou uma sopa simples de legumes, que devem constituir uma refeição (almoço ou jantar).

A introdução de cada alimento, ou ingrediente da sopa, deve ser gradual e espaçada por alguns dias. Este espaçamento permite observar algum tipo de reação que o bebé possa desencadear.

No caso das sopas em puré, as mesmas podem ter três a quatro hortícolas, podendo incluir a batata convencional ou doce. No final da cozedura, devem ser adicionados 5 ml de azeite em cada dose.

Em relação às papas, as mesmas devem ser sem açúcar adicionado e inicialmente sem glúten, podendo ser preparadas com leite materno, fórmula infantil (papas não lácteas) ou com água (papas lácteas).

A fruta pode ser introduzida 2-3 dias após a inclusão da papa e da sopa, como sobremesa (ao almoço e ao jantar). Culturalmente, em Portugal, as primeiras frutas a dar são a maçã cozida, pera cozida e banana.

Com exceção do almoço e do jantar, as restantes refeições do bebé continuam a ser constituídas por leite.

No primeiro ano de vida não deve ser dado açúcar, mel ou sal.
Vacinas Obrigatórias
Estas vacinas fazem parte do Programa Nacional de Vacinação e são gratuitas. Nesta idade, o plano de vacinação inclui:

Vacina contra a Difteria, Tétano, Tosse Convulsa, Haemophilus influenzae b e Poliomielite (DTPaHibVIP) - 2ª dose
Reações adversas:
Pode aparecer dor, rubor e uma tumefação ligeira no local da injeção. Em alguns bebés pode surgir de forma transitória (durante menos de um dia) febre, choro frequente, vómitos, diarreia, perda de apetite, irritabilidade ou sonolência.
Nestes casos deve contatar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral. 

Vacina contra infeções por Streptococcus pneumoniae de 13 serotipos (Pn13) - 2ª dose
Reações adversas:
Pode aparecer dor, rubor e uma tumefação ligeira no local da injeção. Em alguns bebés pode surgir de forma transitória febre, irritabilidade, diminuição do apetite e aumento ou diminuição do sono.
Contacte o pedriata do bebé caso verifique alguma destas reações para que possa aconselhar-lhe a administração de paracetamol por via retal ou oral. 

Vacina meningocócica do tipo B - 2ª dose
Reações adversas:
Existe um risco aumentado de febre, sensibilidade local, alterações dos hábitos alimentares e irritabilidade.
Poderá ser aconselhado, preventivamente, a administração de paracetamol por via retal ou oral.

Vacinas Opcionais
A decisão de administrar uma vacina opcional deve ser discutida com o pediatra que segue a criança. Nesta fase de crescimento da criança, a vacina opcional mais comum é:

Vacina contra o Rotavírus - 2ª dose (esquema de 3 doses)
Reações adversas:
Pode aparecer de forma transitória febre, vómitos ou diarreia.
Em casa
  • O berço deve ser sólido e sem arestas que possam magoar o bebé. A criança deve ser deitada de costas ou de lado, nunca de barriga para baixo. Não coloque no berço almofadas ou brinquedos.
  • O móvel para mudar a fralda deve ser estável. Antes de mudar a fralda certifique-se de que tem à mão tudo o que precisa. Não deixe o bebé sozinho nem por um instante e tenha sempre uma mão sobre a criança enquanto faz a troca.
  • Antes de começar a dar banho, verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete anti-derrapante e nunca deixe o bebé sozinho na banheira mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.
  • Se aquecer o biberão no microondas, verifique sempre a temperatura do leite antes de o dar ao bebé. O biberão pode estar morno e o leite a ferver.
  • Depois de aquecer uma papa no microondas, mexa bem antes de a dar à criança para se certificar de que a temperatura fica homogénea.
  • Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

No carro
  • O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+ ("cadeirinhas" ou "ovos"). 
  • Estas cadeirinhas devem ser colocadas voltadas para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não podem ser instaladas num lugar onde exista um airbag ativo.

Tabela de Percentis 5.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
5,6
6,2
25
6,4
7,0
50
6,9
7,5
75
7,5
8,1
95
8,4
9,0
COMPRIMENTO(cm)
5
60,4
62,4
25
62,5
64,5
50
64,0
65,9
75
65,5
67,3
95
67,7
69,4
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
39,3
40,6
25
40,6
41,7
50
41,5
42,6
75
42,3
43,4
95
43,6
44,5
Os primeiros dentes do bebé
O bebé pode já ter os primeiros incisivos inferiores (dentes do meio, em baixo).    

Sintomas e reações
A erupção dentária pode causar desconforto ao bebé (choro, irritabilidade). Se este for importante, deve contactar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral. 

Cuidados a ter
Após a erupção do primeiro dente, a higienização deve começar a ser feita pelos pais, duas vezes por dia, utilizando uma gaze, uma dedeira ou uma escova pequena e macia.

Para esta higienização será ainda necessário um dentífrico fluoretado com 1000-1500ppm (mg/l) de fluoreto, sendo uma das vezes, obrigatoriamente, após a última refeição.
A quantidade de dentífrico a utilizar deve ser idêntica ao tamanho da unha do dedo mindinho da criança.
Motricidade Grosseira
  • Quando está deitado de barriga para baixo, o bebé consegue levantar a cabeça e parte do tronco com o apoio dos antebraços.
  • Quando está deitado de barriga para cima, estica as pernas e dá pontapés de forma ritmada e simétrica.
  • Quando colocado de pé, a criança apoia os pés. No entanto, flete as pernas, não fazendo a força necessária para ficar de pé. 
  • Quando puxado para se sentar, o bebé mantém a cabeça alinhada com o tronco.

Sinais de alarme
  • O bebé não controla a cabeça. 
  • Quando deitado de barriga para baixo, não levanta a cabeça.
  • Quando puxado para se sentar, deixa a cabeça cair para trás.
  • Muito rígido ou muito "mole".
  • Sobressalto ao menor ruído.
  • Mexe-se pouco.

Motricidade fina e visão
  • O bebé consegue abrir e fechar as mãos. Brinca com elas e leva-as à boca.
  • Tenta agarrar os objetos com a mão. Quando segura uma roca, por exemplo, tenta levá-la à boca e agita-a.
  • Consegue reconhecer as faces mais familiares a pouca distância.
  • Consegue seguir objetos e a face humana na horizontal e na vertical.
  • Pode apresentar um estrabismo convergente ocasional, principalmente quando procura fixar objetos muito próximos.

Sinais de alarme
  • As mãos estão sempre fechadas.
  • Não fixa o olhar e não segue objetos ou a face humana.

Audição e Linguagem
  • Já reage muito bem aos sons. Consegue olhar e virar a cabeça em direção ao som.
  • Reconhece a voz da mãe.
  • Emite monossílabos com frequência.
  • Já consegue imitar alguns sons que vai ouvindo no dia a dia.

Sinais de alarme
Deve procurar a ajuda de um profissional de saúde quando detetar que o bebé não vira os olhos ou a cabeça para os sons emitidos.

Comportamento, Autonomia e Socialização
  • O bebé sorri de forma voluntária. 
  • Gosta de brincar com outras pessoas, principalmente com os pais, e pode chorar quando a brincadeira acaba.
  • Já consegue imitar algumas expressões faciais.

Sinais de alarme
  • Nunca sorri.
  • Chora e grita sempre que é tocado.
O sono do bebé
  • Média global de horas de descanso diárias: 15h
  • Média de horas à noite: 10h    
  • Média de horas durante o dia: 5h
A alimentação do bebé

Leite materno
O leite materno é o melhor alimento para o bebé. As recomendações atuais são de que o bebé deve ser alimentado, se possível, apenas com leite materno até aos seis meses de idade.

Introdução de novos alimentos
Caso o bebé já tenha iniciado a introdução de novos alimentos aos quatro meses, deve manter o esquema entretanto iniciado.

Se o bebé ainda não iniciou a diversificação alimentar e está a ser alimentado com um leite artificial, como complemento ou em alternativa ao leite materno, a introdução dos novos alimentos pode começar nesta idade.

Por onde começar?
  • O primeiro alimento a ser introduzido nem sempre é consensual, pois depende da opinião do pediatra que acompanha o bebé. Pode ser sugerida a introdução das papas de cereais sem glúten ou uma sopa simples de legumes, que devem constituir uma refeição (almoço ou jantar).
  • A introdução de cada alimento, ou ingrediente da sopa, deve ser gradual e espaçada por alguns dias, para se poder observar algum tipo de reação que o bebé possa desencadear.
  • No caso das sopas em puré, as mesmas podem ter 3 a 4 hortícolas e batata convencional ou doce. No final da cozedura, deve ser adicionado 5ml de azeite em cada dose.
  • Em relação às papas, as mesmas devem ser sem açúcar adicionado e inicialmente sem glúten. Podem ser preparadas com leite materno ou fórmula infantil (papas não lácteas) ou com água (papas lácteas).
  • A fruta pode ser introduzida 2 a 3 dias após a inclusão da papa e da sopa, como sobremesa (ao almoço e ao jantar). Normalmente, as primeiras frutas a dar são a maçã cozida, a pera cozida e a banana.
  • Com exceção do almoço e do jantar, as restantes refeições do bebé continuam a ser constituídas por leite.
  • No primeiro ano de vida não deve ser dado açúcar, mel ou sal à criança.
Vacinação obrigatória
Não existem vacinas do Programa Nacional de Vacinação nesta idade.

Vacinação Opcional
A decisão da sua administração deve ser discutida com o Pediatra que segue a criança. Neste período, a vacina opcional mais comum é:

Vacina contra o Rotavírus - 2ª dose (esquema de 2 doses)
Reações adversas:
Pode aparecer de forma transitória diarreia ou irritabilidade.
Cuidados a ter em casa
O berço deve ser sólido e sem arestas que possam magoar o bebé. A criança deve ser deitada de costas ou de lado, nunca de barriga para baixo.
Não coloque no berço almofadas ou brinquedos.

O móvel para mudar a fralda deve ser estável. Antes de mudar a fralda certifique-se de que tem à mão tudo o que precisa. Não deixe o bebé sozinho nem por um instante e tenha sempre uma mão sobre a criança enquanto faz a troca.

Antes de começar a dar banho, verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete antiderrapante e nunca deixe o bebé sozinho na banheira mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.

Se aquecer o biberão no microondas, verifique sempre a temperatura do leite antes de o dar ao bebé. O biberão pode estar morno e o leite a ferver.
Depois de aquecer a papa, garanta que a mexe bem antes de dar à criança, para se certificar de que a temperatura fica homogénea.

Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.


Cuidados a ter em viagem
O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+. 

Estas cadeirinhas devem ser colocadas voltadas para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação, e não podem ser instaladas num lugar onde exista um airbag ativo.

Tabela de Percentis 6.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
6,0
6,6
25
6,7
7,4
50
7,3
7,9
75
7,9
8.5
95
8,9
9,5
COMPRIMENTO(cm)
5
62,0
64,1
25
64,2
66,2
50
65,7
67,6
75
67,3
69,1
95
69,5
71,1
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
40,1
41,3
25
41,3
42,5
50
42,2
43,3
75
43,1
44,2
95
44,3
45,3
Os dentes do bebé
Ao 6.º mês de vida, o bebé pode já ter os primeiros incisivos inferiores e superiores (dentes do meio).    

Principais sintomas e reações
A erupção dentária pode causar desconforto ao bebé (choro, irritabilidade). Se este for importante, deve contactar o pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral.

A higiene oral do bebé
Após a erupção dos primeiros dentes, a higienização do bebé deve começar a ser feita pelos pais, duas vezes por dia e, obrigatoriamente, depois da última refeição.

Deve utilizar uma gaze, uma dedeira ou uma escova pequena e macia, juntamente com um dentífrico fluoretado com 1000-1500ppm (mg/l) de fluoreto.

A quantidade de dentífrico a utilizar deve ser idêntica ao tamanho da unha do dedo mindinho do bebé.
Motricidade grosseira
  • Quando deitado de barriga para baixo, o bebé consegue levantar a cabeça e o tronco apoiando-se nas mãos.
  • Quando deitado de barriga para cima, já consegue levantar a cabeça sozinho.
  • Descobre os pés e tenta levá-los à boca.
  • Já consegue virar-se e rolar.
  • Pode ficar sentado sem apoio por momentos, mas muitas vezes cai para um dos lados.
  • Quando colocada de pé, a criança apoia os pés e faz força.

Sinais de alarme
  • O bebé não consegue controlar a cabeça.
  • Quando é puxado para sentar, passa diretamente para a posição de pé por ter as pernas muito rígidas.

Motricidade fina e visão
  • A criança consegue fazer força de preensão palmar de forma voluntária.
  • Consegue transferir objetos de uma mão para a outra.
  • É capaz de segurar dois brinquedos ao mesmo tempo.
  • Continua a levar tudo à boca.
  • A visão do bebé já é nítida. Consegue ver objetos à distância e distingue as cores.
  • O estrabismo é agora raro.

Sinais de alarme
  • O bebé não olha nem pega em objetos.
  • Usa apenas uma mão.
  • Estrabismo permanente.

Audição e linguagem
  • O bebé consegue localizar a origem de um som mais distante.
  • Vocaliza mono e dissílabos.
  • Gosta de conversar.
  • Responde ao som fazendo sons.
  • Reage ao seu nome.
  • Começa a perceber o "não".

Sinais de alarme
  • Não reage aos sons.
  • Não vocaliza ou é muito monocórdico.

Comportamento, Autonomia e Socialização
Nesta fase, o bebé é geralmente muito ativo, atento e curioso. Mostra interesse pelas imagens no espelho, gosta de interagir com outros e dá os braços para que peguem nele ao colo.

Sinais de alarme
  • Bebé desinteressado pelo que o rodeia.
  • Não estabelece contato e não interage quando interpelado.
  • Irritabilidade permanente.
A rotina de sono do bebé
  • Média total de horas de sono por dia: 14,5h
  • Média de horas à noite: 11h
  • Média de horas durante o dia: 3,5h
A alimentação do bebé
Se o bebé ainda não iniciou a diversificação alimentar a introdução dos novos alimentos, deve começar nesta idade.

Os primeiros passos
  • O primeiro alimento a ser introduzido não é consensual, pois depende da opinião do pediatra que acompanha o bebé. Pode ser sugerida a introdução das papas de cereais sem glúten ou uma sopa simples de legumes, que devem constituir uma refeição (almoço ou jantar).
  • A introdução de cada alimento ou ingrediente da sopa, deve ser gradual e espaçada por alguns dias, para se poder observar algum tipo de reação que o bebé possa desencadear.
  • No caso das sopas em puré, as mesmas podem ter entre três e quatro hortícolas, podendo incluir a batata convencional ou doce. No final da cozedura, devem ser adicionados, em cada dose, 5ml de azeite.
  • Em relação às papas, as mesmas devem ser sem açúcar adicionado e inicialmente sem glúten, podendo ser preparadas com leite materno ou fórmula infantil (papas não lácteas) ou com água (papas lácteas).
  • A fruta pode ser introduzida 2 ou 3 dias após a inclusão da papa e da sopa, como sobremesa (ao almoço e ao jantar). Culturalmente, em Portugal, as primeiras frutas a dar são a maçã cozida, a pera cozida e a banana.
  • Com exceção do almoço e do jantar, as restantes refeições do bebé continuam a ser constituídas por leite.
  • No primeiro ano de vida, não deve ser dado açúcar, mel ou sal.

Diversificação Alimentar
Caso o bebé já tenha iniciado a diversificação alimentar aos 4 ou aos 5 meses, deve manter o esquema usado até então. Contudo, deve introduzir novos alimentos como a carne magra (borrego, vitela, peru, frango) e o peixe magro (pescada e linguado), numa quantidade de cerca de 30g/dia na sopa de legumes.
A papa de cereais com glúten também pode ser introduzida nesta fase.
Vacinas Obrigatórias
Estas vacinas fazem parte do Programa Nacional de Vacinação e são gratuitas.

Vacina contra a Difteria, Tétano, Tosse Convulsa, Haemophilus influenzae b, Poliomielite e Hepatite B (DTPaHibVIPVHB) - 3ª dose
Reações adversas:
Pode aparecer dor, rubor e uma tumefação ligeira no local da injeção.
Em alguns bebés, pode surgir de forma transitória (durante menos de um dia) febre, choro frequente, vómitos, diarreia, perda de apetite, irritabilidade ou sonolência. 
Nestes casos deve contactar o Pediatra que segue o bebé, que poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral. 


Vacinas Opcionais
A decisão da sua administração deve ser discutida com o Pediatra que acompanha a criança.

Vacina contra o Rotavírus - 3ª dose (esquema de 3 doses)
Reações adversas:
Pode aparecer de forma transitória febre, vómitos ou diarreia.
Medidas de segurança em casa
O berço deve ser sólido e sem arestas que possam magoar o bebé. A criança deve ser deitada de costas ou de lado, nunca de barriga para baixo. Não coloque no berço almofadas ou brinquedos.

Se a criança já utiliza uma cama de grades, certifique-se de que as grades têm uma altura mínima de 60 cm e não existe entre elas espaços maiores que 6 cm.

O móvel para mudar fraldas deve ser estável. Antes de mudar a fralda garanta que tem à mão tudo o que precisa para não deixar o bebé sozinho, nem por um instante.
Mantenha sempre uma mão sobre a criança enquanto muda a fralda.

Antes de começar a dar banho verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete antiderrapante e nunca deixe o bebé sozinho na banheira mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.

Se utilizar uma cadeira própria para dar as refeições à criança, a mesma deve ser estável, possuir um cinto adequado e estar colocada, de preferência, encostada a uma parede.

Se aquecer o biberão no microondas verifique sempre a temperatura do leite antes de o dar ao bebé. O biberão pode estar morno e o leite a ferver. No caso das papas, mexa bem antes de a dar à criança para se certificar de que a temperatura fica homogénea.

Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Medidas de segurança no carro
O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+. 

A cadeirinha deve ser colocada voltada para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não pode ser instalada num lugar onde exista um airbag ativo.

Tabela de Percentis 7.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
6,3
6,9
25
7,0
7,7
50
7,6
8,3
75
8,3
8,9
95
9,4
9,9
COMPRIMENTO(cm)
5
63,5
65,6
25
65,7
67,7
50
67,3
69,2
75
68,8
70,6
95
71,1
72,7
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
40,7
42,0
25
41,9
43,1
50
42,8
44,0
75
43,7
44,8
95
45,0
46,0
Os dentes do bebé
O bebé pode já ter os primeiros dentes incisivos inferiores (dentes do meio em, baixo) e superiores (dentes do meio, em cima).
Pode também já ter os segundos incisivos inferiores (dentes do lado, em baixo).

Possíveis sintomas e reações
A erupção dentária pode causar desconforto ao bebé, nomeadamente choro e irritabilidade.
Se este for importante, deve contactar o pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral.

Higiene Oral
Após a erupção do primeiro dente, a higienização deve começar a ser feita pelos pais, duas vezes por dia e obrigatoriamente na última refeição.
Deve utilizar uma gaze, uma dedeira ou uma escova pequena e macia, com um dentífrico fluoretado com 1000-1500ppm (mg/l) de fluoreto.
A quantidade de dentífrico a utilizar deve ser idêntica ao tamanho da unha do 5º dedo da mão, da própria criança (dedo mindinho).
Motricidade grosseira
  • Quando deitado de barriga para baixo, o bebé consegue levantar a cabeça e o tronco apoiando-se nas mãos.
  • Deitado de barriga para cima, consegue levantar a cabeça sozinho.
  • Descobre os pés e tenta levá-los à boca.
  • Já consegue virar-se e rolar.
  • Pode ficar sentado sem apoio por momentos, mas muitas vezes cai para um dos lados.
  • Quando colocado de pé, apoia-se e faz força.

Sinais de alarme
  • Bebé não consegue controlar a cabeça.
  • Quando é puxado para sentar passa diretamente para a posição de pé por ter as pernas muito rígidas.
 
Motricidade fina e visão
  • A criança consegue fazer preensão palmar de forma voluntária.
  • Consegue transferir objetos de uma mão para a outra.
  • É capaz de segurar em dois brinquedos ao mesmo tempo.
  • Continua a levar tudo à boca.
  • A visão é já nítida. Consegue ver objetos à distância e distingue as cores.
  • O estrabismo é agora raro.

Sinais de alarme
  • Não olha nem pega em objetos.
  • Usa só uma mão.
  • Estrabismo permanente.

Audição e linguagem
  • Consegue localizar a origem de um som mais distante.
  • Vocaliza mono e dissílabos.
  • Gosta de conversar.
  • Responde ao som fazendo sons.
  • Reage ao seu nome.
  • Começa a perceber o "não".

Sinais de alarme
  • Não reage aos sons.
  • Não vocaliza ou é muito monocórdico.

Comportamento, Autonomia e Socialização
Nesta fase o bebé é geralmente muito ativo, atento e curioso. 
Mostra interesse pelas imagens no espelho.
Gosta de interagir com outros e dá os braços para o pegarem ao colo.

Sinais de alarme
  • Bebé desinteressado pelo que o rodeia.
  • Não estabelece contato e não interage quando interpelado.
  • Irritabilidade permanente.
O sono do bebé
  • Média global de horas de sono por dia: 14,5h
  • Média de horas à noite: 11h    
  • Média de horas durante o dia: 3,5h
Alimentação
Caso ainda não o tenha feito, deve introduzir na alimentação do bebé as papas de cereais com glúten e a carne magra (borrego, vitela, perú, frango) e o peixe magro (pescada e linguado). A quantidade não deve ultrapassar as 30g/dia na sopa de legumes. 

As leguminosas podem ser introduzidas nesta fase, em pequenas quantidades. Sugere-se iniciar com as lentilhas e depois os vários tipos de feijão, adicionando progressivamente as restantes, como o grão e as favas.
Vacinação
Não existem vacinas obrigatórias ou opcionais para esta idade.
Cuidados com o bebé em casa
As grades da cama devem ter uma altura mínima de 60cm e não pode existir entre elas espaços superiores a 6 cm.

O móvel para mudar fraldas deve ser estável. Antes de mudar a fralda certifique-se de que tem à mão tudo o que precisa e nunca deixe o bebé sozinho. Mantenha sempre uma mão sobre a criança durante a muda.

Antes de iniciar o banho verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete antiderrapante e nunca deixe o bebé sozinho, mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.

Se utilizar uma cadeira própria para refeições, esta deve ser estável, possuir um cinto de segurança adequado e estar colocada, de preferência, encostada a uma parede.

Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Cuidados no transporte do bebé
O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+. 

As cadeirinhas devem ser colocadas voltadas para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não podem ser instaladas num lugar onde existam airbags ativos.

Tabela de Percentis 8.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
6,5
7,2
25
7,3
8,0
50
7,9
8,6
75
8,6
9,3
95
9,7
10,3
COMPRIMENTO(cm)
5
64,9
67,0
25
67,2
69,1
50
68,7
70,6
75
70,3
72,1
95
72,6
74,2
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
41,2
42,5
25
42,5
43,7
50
43,4
44,5
75
44,3
45,4
95
45,6
46,6
Os dentes do seu bebé
Aos 8 meses, habitualmente o bebé já tem os 1ºs incisivos inferiores e superiores (dentes do meio em baixo e em cima).  
Pode já ter também os segundos incisivos inferiores e os segundos incisivos superiores (dentes do lado, em baixo e em cima).

Sintomas e desconforto
A erupção dentária pode causar desconforto ao bebé (choro, irritabilidade). Se este for importante, deve contactar o pediatra que segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral. 

A higiene oral do bebé
A higiene oral do bebé deve ser feita pelos pais, duas vezes por dia, sendo uma das vezes, obrigatoriamente, após a última refeição.

Deve usar uma gaze, uma dedeira ou uma escova pequena e macia e um dentífrico fluoretado com 1000-1500 ppm (mg/l) de fluoreto.

A quantidade de dentífrico a utilizar deve ser idêntica ao tamanho da unha do dedo mindinho da própria criança.
Motricidade grosseira
  • Quando deitado de barriga para baixo, o bebé consegue levantar a cabeça e o tronco apoiando-se nas mãos.
  • Quando deitado de barriga para cima, é capaz de levantar a cabeça sozinho.
  • Descobre os pés e tenta levá-los à boca.
  • Já consegue virar-se e rolar.
  • Pode ficar sentado sem apoio por momentos, mas cai para um dos lados ao fim de algum tempo.
  • Quando colocado de pé, apoia os pés e faz força.

Sinais de alarme
  • O bebé não consegue controlar a cabeça.
  • Quando é puxado para sentar, passa diretamente para a posição de pé por ter as pernas muito rígidas.

Motricidade fina e visão
  • A criança onsegue fazer preensão palmar de forma voluntária.
  • É capaz de transferir objetos de uma mão para a outra e de segurar dois brinquedos ao mesmo tempo.
  • Continua a levar tudo à boca.
  • A visão é já nítida. Consegue ver objetos à distância e distingue as cores.
  • O estrabismo é, agora, raro.

Sinais de alarme
  • O bebé não olha nem pega em objetos.
  • Usa só uma mão.
  • Apresenta sinais de estrabismo permanente.

Audição e linguagem
  • Consegue localizar a origem de um som mais distante.
  • Vocaliza mono e dissílabos.
  • Gosta de conversar.
  • Responde ao som fazendo sons.
  • Reage ao seu nome.
  • Começa a perceber o "não".

Sinais de alarme
  • Não reage a sons.
  • Não vocaliza ou é muito monocórdico.

Comportamento, Autonomia e Socialização
Nesta fase o bebé é geralmente muito ativo, atento e curioso, mostrando interesse pelas imagens que vê em espelhos.
Gosta de interagir com outros e dá os braços para que peguem nele.

Sinais de alarme
  • O bebé é desinteressado pelo que o rodeia.
  • Não estabelece contacto e não interage quando interpelado.
  • Demonstra irritabilidade permanente.
Sono
  • Total de horas de sono por dia: 14,5h (aproximadamente)
  • Média de horas à noite: 11h    
  • Média de horas durante o dia: 3,5h
A alimentação do bebé
Nesta idade é importante ir alternando a textura dos alimentos, tornando-a mais granulosa e sólida.
Poderá oferecer arroz e a massa, bem cozidos e numa textura inicialmente mais pastosa/granulosa e ir aumentando até obter alguns pedaços (moles).
Vacinação
Não existem vacinas obrigatórias do Programa Nacional de Vacinação ou até opcionais para esta idade.
Segurança em casa
As grades da cama devem ter uma altura mínima de 60cm e não deve existir entre elas espaçamentos superiores a 6cm.

O móvel para mudar a fralda deve ser estável. Antes de mudar a fralda certifique-se de que tem à mão tudo o que precisa. Não deixe o bebé sozinho nem por um instante e tenha sempre uma mão sobre a criança enquanto a prepara.

Antes de começar a dar banho, verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete antiderrapante e não deixe o bebé sozinho, mesmo que a quantidade de água seja reduzida.

Se utilizar uma cadeira para dar refeições à criança, esta deve ser estável, possuir um cinto adequado e estar, de preferência, encostada a uma parede.

Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Segurança em viagem

O seu bebé deve ser transportados no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+ ("cadeirinhas" ou "ovos"). 

Estas cadeirinhas devem ser colocadas voltadas para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não podem ser instaladas em lugares com airbags ativos.

Tabela de Percentis 9.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
6,8
7,4
25
7,6
8,3
50
8,2
8,9
75
8,9
9,6
95
10,1
10,6
COMPRIMENTO(cm)
5
66,2
68,3
25
68,5
70,5
50
70,1
72,0
75
71,8
73,5
95
74,1
75,7
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
41,6
42,9
25
42,9
44,2
50
43,8
45,0
75
44,7
45,8
95
46,0
47,1
Dentes
Regra geral, uma criança com 9 meses de idade já apresenta ter os primeiros incisivos inferiores e superiores (dentes do meio, em baixo e em cima).
Pode também já ter os segundos incisivos inferiores e superiores (dentes do lado, em baixo e em cima).

Sintomas e reações do crescimento dos dentes
A erupção dentária pode causar desconforto ao bebé (choro, irritabilidade). Se este for importante deve contatar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral.

A higiene oral da criança
A higiene dos dentes deve ser feita pelos pais, duas vezes por dia, sendo uma delas, obrigatoriamente, após a última refeição.

Pode utilizar uma escova pequena e macia, juntamente com um dentífrico fluoretado com 1000-1500ppm (mg/l) de fluoreto.

A quantidade de dentífrico a plicar deve ser idêntica ao tamanho da unha do dedo mindinho da própria criança.
Motricidade grosseira
Nesta fase, o bebé consegue ficar sentado sem apoio e sem dificuldade.
Alguns bebés já conseguem gatinhar, enquanto outros ainda rastejam.

Sinais de alarme
- O bebé não se senta sem apoio.
- Permanece sempre imóvel e não tenta mudar de posição.
- Tem uma postura assimétrica.

Motricidade fina e visão
Com 9 meses, a criança já aponta com o indicador e gosta de premir botões.
Consegue apanhar objetos usando o polegar e o indicador e atirá-los para o chão de forma intencional.

Sinais de alarme
  • Não consegue agarrar os objetos.
  • Não leva os objetos à boca.
  • Estrabismo, mesmo que só por instantes.

Audição e linguagem
As crianças desta idade reagem de forma rápida a sons próximos ou longínquos. Palram com polissílabos e já imitam muitos sons dos adultos.

Sinais de alarme
  • O bebé não reage aos sons.
  • Não palra ou palra só com monossílabos.

Comportamento, Autonomia e Socialização
  • Leva a comida à boca e mastiga os alimentos.
  • Começa a reagir aos estranhos com choro.
  • Já consegue mostrar afeto.

Sinais de alarme
  • Aparenta ser um bebé apático.
  • Não reage a estranhos.
  • Engasga-se com facilidade.
Sono
  • Total de horas por dia (em média): 14h
  • Média de horas à noite: 11h    
  • Média de horas durante o dia: 3h
A alimentação da criança

Introdução aos ovos
A gema de ovo cozida pode ser incluída na sopa uma vez por semana, em substituição da carne ou peixe, numa das refeições.
Algumas entidades aconselham uma introdução gradual, segundo o seguinte esquema: primeira vez: metade de uma gema, segunda vez: 1 gema inteira, terceira vez: 1 ovo inteiro. Ou seja, depois de alguns dias sem que o bebé manifeste alguma reação, pode incluir a clara do ovo, dando o ovo inteiro, mas não deve exceder os 3 ovos por semana.

Iogurtes e frutos gordos simples
O iogurte natural, sem aromas ou adição de açúcar, pode ser introduzido nesta fase, em substituição de uma refeição de leite ou papa.

É também nesta altura que se pode incluir os frutos gordos simples e ao natural, como as amêndoas, nozes, amendoins, etc., normalmente triturados em farinhas e adicionados a outros alimentos.

Frutas
Podem também ser introduzidas outras frutas sempre com o cuidado de retirar a pele, quaisquer caroços e esmagar de forma a obter um puré.

Explorar a comida dos adultos
A criança pode começar a comer a comida dos pais desde que seja fácil de mastigar, incluindo massa, arroz, batata cozida, puré de batata, empadão, carne picada, almôndegas, entre outros.

Número de refeições diárias
Gradualmente deve-se aumentar o número de refeições onde não entra o leite. Ao mesmo tempo deve ser também aumentada a consistência dos alimentos de homogénea (puré) a granulosa e finalmente com alguns pedaços. 

Com esta idade, a criança pode fazer apenas cinco refeições. A ceia pode ser dada, mas não é fundamental.
Vacinação
Não existem vacinas obrigatórias ou opcionais para esta idade.
Medidas de segurança em casa
Como a criança começa a deslocar-se, tenha o cuidado de proteger as tomadas elétricas com dispositivos próprios que só possam ser removidos com a ajuda de uma ferramenta própria. Evite utilizar extensões elétricas. 

Os medicamentos e produtos tóxicos devem ser guardados num local fora do alcance da criança.

Também os objetos cortantes, como tesouras ou facas de cozinha, devem estar sempre em locais inacessíveis para as crianças.

As escadas devem ser protegidas com cancelas adequadas. Estas devem ter uma altura mínima de 60cm e as grades não devem ter, entre si, uma distância superior a 6cm.

As fontes de aquecimento (lareiras, radiadores) devem estar em locais protegidos. 
É importante também ter atenção à porta do forno quando este está quente para evitar queimaduras na palma das mãos do bebé.

As grades da cama devem ter uma altura mínima de 60cm e não deve existirespaços maiores do que 6cm entre elas.

Antes de começar a dar banho verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete anti-derrapante e nunca deixe o bebé sozinho na banheira, mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.

Se utilizar uma cadeira própria para dar as refeições à criança, esta deve ser estável, possuir um cinto adequado e estar encostada a uma parede, de preferência.

Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Não utilize andarilhos. Não ajudam a criança a aprender a andar e são responsáveis por muitas quedas e acidentes.

Medidas de segurança no carro
O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+. 

Estas cadeirinhas devem ser colocadas voltadas para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não podem ser instaladas num lugar onde exista um airbag ativo.

Tabela de Percentis 10.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
7,0
7,7
25
7,8
8,5
50
8,5
9,2
75
9,2
9,9
95
10,4
10,9
COMPRIMENTO(cm)
5
67,4
69,5
25
69,8
71,7
50
71,5
73,3
75
73,1
74,8
95
75,5
77,0
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
42,0
43,3
25
43,3
44,6
50
44,2
45,4
75
45,1
46,3
95
46,4
47,5
Os primeiros dentes do bebé
Ao 10.º mês de idade, um bebé já tem os primeiros incisivos inferiores e superiores (dentes do meio, em baixo e em cima).    
Pode já ter os 2ºs incisivos inferiores e superiores (dentes do lado, em baixo e em cima) e os primeiros molares inferiores ou superiores.   

Reações e desconforto
A erupção dentária pode causar desconforto ao bebé (choro, irritabilidade). Se este for importante deve contatar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral. 

Higiene oral da criança
A higiene dos dentes deve ser feita pelos pais, duas vezes por dia, utilizando uma escova pequena e macia, com um dentífrico fluoretado com 1000-1500ppm (mg/l) de fluoreto, sendo uma das vezes, obrigatoriamente, após a última refeição.
A quantidade de dentífrico a utilizar deve ser idêntica ao tamanho da unha do mindinho da criança.
Motricidade grosseira
Com esta idade, o bebé consegue ficar sentado sem apoio e sem dificuldade.
Algumas crianças também já conseguem gatinhar, mas outros deslocam-se rastejando.

Sinais de alarme
  • Não se senta sem apoio.
  • Permanece sempre imóvel e não tenta mudar de posição.
  • Postura assimétrica.

Motricidade fina e visão
O bebé já aponta com o indicador e gosta de premir botões. Consegue apanhar objetos usando o polegar e o indicador e é capaz de os atirar para o chão de forma intencional.

Sinais de alarme
  • Não consegue agarrar os objetos.
  • Não leva os objetos à boca.
  • Estrabismo, mesmo que só por instantes.

Audição e linguagem
A criança reage de forma rápida a sons próximos ou longínquos, palra com polissílabos e imita muitos sons do adulto.

Sinais de alarme!!
  • Não reage aos sons.
  • Não palra ou palra só com monossílabos.

Comportamento, Autonomia e Socialização
Um bebé de 10 meses é capaz de levar a comida à boca e de mastigar os alimentos de forma autónoma.
Começa a reagir aos estranhos com choro e a mostrar afeto.

Sinais de alarme
  • Bebé apático.
  • Não reage a estranhos.
  • Engasga-se com facilidade.
Sono
  • Total de horas por dia (em média): 14h
  • Média de horas à noite: 11h    
  • Média de horas durante o dia: 3h
Alimentação

Caso ainda não o tenha feito, pode ser introduzido o ovo (gradualmente), o iogurte e os frutos gordos.

Nesta altura também já se recomenda a introdução de peixe gordo, nomeadamente a cavala ou a sardinha, mas sempre numa quantidade a rondar as 30g/dia.

A partir do 10º mês, o almoço e o jantar podem passar a ter 2 pratos: a sopa de legumes e o prato principal com a carne/peixe/ovo.

A criança pode ainda comer a comida dos pais desde que seja fácil de mastigar (massa, arroz, batata cozida, puré de batata, empadão, carne picada, almôndegas, croquetes, entre outros).

Com esta idade a criança pode fazer apenas quatro ou cinco refeições por dia. A ceia pode ser dada, mas não é fundamental.

Vacinas

Não existem vacinas obrigatórias ou opcionais para esta idade.

Cuidados a ter com o bebé em casa

Como a criança começa a deslocar-se tenha o cuidado de proteger as tomadas elétricas com dispositivos próprios que só possam ser removidos com a ajuda de uma ferramenta própria. Evite utilizar extensões elétricas. 

Os medicamentos e produtos tóxicos devem ser guardados num local fora do alcance da criança.
Também os objetos cortantes, como tesouras ou facas de cozinha, devem estar sempre em locais inacessíveis para as crianças.

As escadas devem ser protegidas com cancelas adequadas. Estas devem ter uma altura mínima de 60cm e as grades não devem ter, entre si, uma distância superior a 6cm.

As fontes de aquecimento (lareiras, radiadores) devem estar em locais protegidos.
É importante ter também atenção à porta do forno quando este está quente para evitar que o bebé se queime.

As grades da cama devem ter uma altura mínima de 60cm e não deve existir entre elas espaços superiores a 6cm.

Antes de começar a dar banho verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete antiderrapante e nunca deixe o bebé sozinho.

Se utilizar uma cadeira própria para dar as refeições à criança, esta deve ser estável, possuir um cinto adequado e estar, de preferência, encostada a uma parede.

Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Escolha sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum brinquedo tiver pilhas, certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Não utilize andarilhos. Não ajudam a criança a aprender a andar e são responsáveis por muitas quedas e acidentes.

Cuidados a ter com o bebé no carro
O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+. 
Se a criança atingir uma altura ou peso superior para a cadeirinha atual, deve mudar para uma cadeira do grupo 1.
No entanto, deve continuar a ser instalada de costas para os lugares da frente, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não podem ser instaladas num lugar onde exista um airbag ativo.

Tabela de Percentis 11.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
7,2
7,9
25
8,0
8,7
50
8,7
9,4
75
9,5
10,1
95
10,7
11,2
COMPRIMENTO(cm)
5
68,6
70,7
25
71,1
73,0
50
72,8
74,5
75
74,5
76,1
95
76,9
78,4
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
42,4
43,7
25
43,7
44,9
50
44,6
45,8
75
45,5
46,6
95
46,8
47,9
Os dentes da criança
Por norma, com 11 meses, as crianças já têm os primeiros dentes incisivos inferiores e superiores (dentes do meio, em baixo e em cima) e os segundos incisivos inferiores e superiores (dentes do lado, em baixo e em cima).
Podem também já ter os primeiros molares inferiores ou superiores.    


Sintomas e reações
A erupção dentária pode causar desconforto ao bebé (choro, irritabilidade). Se este for importante deve contatar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral.
 
A higiene oral do bebé
A higiene dos dentes deve ser feita pelos pais, duas vezes por dia, sendo uma das vezes, obrigatoriamente, após a última refeição.

Deve ser utilizada uma escova pequena e macia e um dentífrico fluoretado com 1000-1500ppm (mg/l) de fluoreto.
A quantidade de dentífrico a utilizar deve ser idêntica ao tamanho da unha do 5º dedo da mão, da própria criança (dedo mindinho).
Motricidade grosseira
O bebé já consegue ficar sentado sem apoio e sem dificuldade.
Alguns bebés já conseguem gatinhar mas outros deslocam-se rastejando.

Sinais de alarme
  • Não se senta sem apoio.
  • Permanece sempre imóvel e não tenta mudar de posição.
  • Postura assimétrica.

Motricidade fina e visão
A criança é capaz de apontar com o indicador e gosta de premir botões. Consegue apanhar objetos usando o polegar e o indicador e ainda é capaz de os atirar para o chão de forma intencional.

Sinais de alarme!!
  • Não consegue agarrar os objetos.
  • Não leva os objetos à boca.
  • Estrabismo, mesmo que só por instantes.

Audição e linguagem
Aos 11 meses, a criança reage de forma rápida a sons próximos ou longínquos, palra com polissílabos e imita muitos dos sons imitidos pelos adultos.

Sinais de alarme
  • Não reage aos sons.
  • Não palra ou palra só com monossílabos.

Comportamento, Autonomia e Socialização
O bebé já tem capacidades para levar comida à boca e de mastigar os alimentos.
Começa a reagir aos estranhos com choro e consegue mostrar afeto.

Sinais de alarme
  • Bebé apático.
  • Não reage a estranhos.
  • Engasga-se com facilidade.
A rotina de sono da criança
  • Média de horas de sono por dia: 14h
  • Média de horas à noite: 11h    
  • Média de horas durante o dia: 3h
A alimentação da criança
Nesta idade, a criança come praticamente tudo. Apenas o leite de vaca deve ser introduzido depois de 1 ano de idade.

Muitas crianças já conseguem fazer a alimentação familiar, que se pretende que seja variada, equilibrada e completa, tendo como guia as recomendações da Roda dos Alimentos.

Sugere-se que toda a família passe a comer com menos sal as suas refeições, de modo a que a criança não fique sujeita a um excesso deste ingrediente.

Obrigatórias

Não existem vacinas do Programa Nacional de Vacinação nem vacinas opcionais para esta idade.

Cuidados a ter em casa
Tenha o cuidado de proteger as tomadas elétricas com dispositivos próprios, que só possam ser removidos com a ajuda de uma ferramenta própria. Evite utilizar extensões elétricas. 

Os medicamentos e produtos tóxicos devem ser guardados num local fora do alcance da criança.
Também os objetos cortantes, como tesouras ou facas de cozinha, devem estar sempre em locais inacessíveis para as crianças.

As escadas devem ser protegidas com cancelas adequadas. Estas devem ter uma altura mínima de 60cm e as grades não devem ter entre si uma distância superior a 6cm.

As fontes de aquecimento (lareiras, radiadores) devem estar em locais protegidos. 
É importante ter atenção à porta do forno quando estiver quente para evitar queimaduras na palma das mãos do bebé.

As grades da cama devem ter uma altura mínima de 60cm e não deve existir entre elas espaços superiores a 6cm.

Antes de começar a dar banho, verifique a temperatura da água. Coloque um tapete antiderrapante na banheira e nunca deixe o bebé sozinho, mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.

Se utilizar uma cadeira própria para dar as refeições à criança, esta deve ser estável, encostada a uma parede e deve ainda possuir um cinto adequado.

A escolha dos brinquedos deve ser ajustada à idade da criança. Opte sempre brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir.
Se algum brinquedo tiver pilhas certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Não utilize andarilhos. Não ajudam a criança a aprender a andar e são responsáveis por muitas quedas e acidentes.

Cuidados a ter em viagens
O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+. 
Se a criança começar a ficar grande para a cadeirinha atual, pode mudar para uma cadeira do grupo 1..

Estas cadeirinhas devem ser colocadas voltadas para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não podem ser instaladas num lugar onde exista um airbag ativo.

Tabela de Percentis 12.º Mês

Peso, Comprimento e Perímetro Cefálico

PERCENTIL Feminino Masculino
PESO (Kg)
5
7,3
8,1
25
8,2
9,0
50
8,9
9,6
75
9,7
10,4
95
11,0
11,5
COMPRIMENTO(cm)
5
69,8
71,8
25
72,3
74,1
50
74,0
75,7
75
75,8
77,4
95
78,3
79,7
PERÍMETRO CEFÁLICO(cm)
5
42,7
44,0
25
44,0
45,2
50
44,9
46,1
75
45,8
46,9
95
47,1
48,2
Os dentes da criança
Habitualmente, nesta idade a criança já tem os primeiros e segundos incisivos inferiores e superiores (dentes do meio e de lado, em cima e em baixo).
Pode também já ter os primeiros molares inferiores ou superiores.    

Sintomas e reações
A erupção dentária pode causar desconforto ao bebé (choro, irritabilidade). Se este for importante, deve contatar o Pediatra que tem acompanhado a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral. 

Cuidados de higine oral
A higiene dos dentes deve ser feita pelos pais, duas vezes por dia, sendo uma delas, obrigatoriamente, após a última refeição do dia.

Deve utilizar uma escova pequena e macia, com um dentífrico fluoretado com 1000-1500 ppm (mg/l) de fluoreto.
A quantidade de dentífrico a utilizar deve ser idêntica ao tamanho da unha do dedo mindinho da própria criança.
Motricidade grosseira
  • O bebé consegue passar de deitado de barriga para baixo para a posição de sentado.
  • Fica muito bem sentado.
  • Gatinha ou rasteja sem dificuldade.
  • Consegue pôr-se de pé agarrado.
  • Quando de pé, consegue baixar-se com a ajuda das mãos.
  • Anda com apoio.

Sinais de alarme!!
  • A criança não se põe de pé.
  • Não se senta.
  • Permanece imóvel e não tenta mudar de posição.
  • Postura assimétrica.
  • Não faz pinça entre o polegar e o indicador.

Motricidade fina e visão
  • Tem interesse visual para o perto e para longe. 
  • Procura objetos escondidos ou colocados dentro de uma caixa.
  • Já entende a função de alguns objetos (pente, telefone, copo, etc.).

Sinais de alarme
  • Estrabismo, mesmo por instantes.
  • Não pega nos brinquedos.
  • Pega nos brinquedos apenas com uma mão.

Audição e linguagem
  • Reage rápido a sons suaves.
  • Reconhece o seu nome sem dificuldade.
  • Compreende ordens simples.
  • Expressa "não" com a cabeça.
  • Palra muito e de forma expressiva.
  • Tenta imitar palavras.

Sinais de alarme
  • O bebé não responde à voz.
  • Não emite polissílabos.
  • Está sempre silencioso.

Comportamento, Autonomia e Socialização
  • A criança é capaz de beber pelo copo, segurando-o com as duas mãos e sem ajuda.
  • Come com a mão. Consegue segurar a colher, mas não a usa sozinho.
  • Ajuda a vestir levantando os braços.
  • Diz adeus e bate palminhas.
  • Mantém-se tímido ou ansioso na presença de estranhos.
  • Deve dormir no seu quarto.

Sinais de alarme!!
  • Não brinca.
  • Não estabelece contato.
  • Não reage ao nome. 
  • Não mastiga ou engasga-se com frequência.
Sono
  • Total de horas por dia (em média): 14h
  • Média de horas à noite: 12h    
  • Média de horas durante o dia: 2h
Alimentação
A partir do momento em que a criança completa um ano deixa de ter restrições em termos alimentares.

Nesta idade pode comer o mesmo que os pais e irmãos, apenas mantendo atenção à consistência dos alimentos que se deve ir aumentando gradualmente e de acordo com a tolerância da criança.

Pode iniciar um leite de crescimento ou o leite de vaca meio-gordo.

O açúcar e o sal devem ser desencorajados e reduzidos tanto quanto possível. Nas refeições pode substituir o sal pelas ervas aromáticas e o açúcar deve ser deixado apenas para os dias de festa.
Vacinação obrigatória
Estas vacinas fazem parte do Programa Nacional de Vacinação e são gratuitas.

Vacina contra o sarampo, a parotidite epidérmica e a rubéola (VASPR)-1ª dose
Reações adversas:
No local da vacina pode surgir ardor e/ou dor de curta duração, rubor ou inchaço ligeiro. Por vezes pode surgir febre (> 39,4ºC) e/ou exantema que são auto-limitados, de curta duração e podem aparecer 5 a 12 dias após a vacinação.

Vacina contra infeções por Streptococcus pneumoniae de 13 serotipos (Pn13) - 3ª dose
Reações adversas:
Pode aparecer dor, rubor e uma tumefação ligeira no local da injeção. Em alguns bebés pode surgir de forma transitória febre, irritabilidade, diminuição do apetite e aumento ou diminuição do sono.
Nestes casos deve contatar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral. 

Vacina contra o Meningococo C (MenC) 
Reações adversas:
Pode aparecer dor, rubor e uma tumefação ligeira no local da injeção que desaparecem ao fim de 1 a 2 dias. Em alguns bebés pode surgir febre, choro, irritabilidade, sonolência ou alterações do sono, falta de apetite, vómitos, diarreia ou dor abdominal que desaparecem gradualmente em 1 ou 2 dias.
Nestes casos deve contatar o Pediatra que habitualmente segue a criança. Este poderá aconselhar a administração de paracetamol por via retal ou oral.

Vacina meningocócica do tipo B - 3ª dose
Reações adversas:
Existe um risco aumentado de febre, sensibilidade local, alterações dos hábitos alimentares e irritabilidade. Poderá ser aconselhado preventivamente a administração de paracetamol por via retal ou oral.

Vacinação opcional
Não existem vacinas opcionais para esta idade.
Mantenha o bebé seguro em casa
Proteja as tomadas elétricas com dispositivos próprios que só possam ser removidos com a ajuda de uma ferramenta própria. Evite utilizar extensões elétricas. 

Os medicamentos e produtos tóxicos devem ser guardados num local fora do alcance da criança.

Também os objetos cortantes, como tesouras ou facas de cozinha, devem estar sempre em locais inacessíveis para as crianças.

As escadas devem ser protegidas com cancelas adequadas. Estas devem ter uma altura mínima de 60cm e as grades não devem ter entre si uma distância superior a 6cm.

As fontes de aquecimento (lareiras, radiadores) devem estar em locais protegidos. 
É importante ter também atenção à porta do forno quando este está quente para evitar o risco de queimaduras no bebé.

As grades da cama devem ter pelo menos 60cm de altura e sem aberturas entre si superiores a 6cm.

Antes de dar banho verifique a temperatura da água. Coloque na banheira um tapete antiderrapante e nunca deixe o bebé sozinho na banheira.

Se utilizar uma cadeira própria para dar as refeições à criança, garanta que se encontra estável, encostada a uma parede e que possui um cinto adequado.

Os brinquedos devem ser adaptados à idade da criança. Opte por brinquedos leves e laváveis, sem arestas e sem peças pequenas ou que se possam partir. Se algum deles tiver pilhas, certifique-se que o seu compartimento está bem fechado e inacessível à criança.

Não utilize andarilhos. Não ajudam a criança a aprender a andar e são responsáveis por muitas quedas e acidentes.

Durante as viagens de carro
O seu bebé deve ser transportado no carro utilizando um sistema de retenção do grupo 0 ou 0+ ("cadeirinhas" ou "ovos").
Se verificar que a criança começar a ficar grande para a cadeirinha atual, pode mudar para uma do grupo 1.

Estas cadeirinhas devem ser colocadas voltadas para trás, utilizando um cinto com três pontos de fixação. Não podem ser instaladas num lugar onde exista um airbag ativo.
  • Rastreio auditivo universal neonatal
    Todos os recém-nascidos devem ser submetidos a um rastreio de audição, através de um método designado por Otoemissões. Este rastreio não necessita da colaboração do recém-nascido, que pode mesmo estar a dormir. Atualmente está disponível na maioria das maternidades e permite detetar um grande número de situações de surdez presentes na altura do nascimento.

 

  • Curvas de percentil
    As curvas de percentil permitem avaliar, em relação a uma característica de uma criança (como o peso, o comprimento ou o perímetro cefálico), e para cada idade, como a criança se encontra em relação a outras da mesma idade.

  • Desenvolvimento infantil
    O desenvolvimento infantil é um processo contínuo que segue uma sequência normalmente idêntica para todas as crianças. Podem, no entanto, existir algumas variações individuais que devem ser avaliadas pelo pediatra que habitualmente segue a criança. 
    O grau de desenvolvimento atingido por uma criança é sempre o resultado de duas influências diferentes. Por um lado a hereditariedade (o que é herdado dos pais) e por outro lado o ambiente (o meio em que a criança vive). Para que se atinja uma determinada etapa do desenvolvimento, a criança deve ter o potencial para a atingir (hereditariedade), mas o nível que atinge desse potencial é, em parte, determinado pelas oportunidades de aprendizagem que lhe são criadas (ambiente).

 

  • Vacinas
    As vacinas corresponderam a um dos maiores avanços da medicina. Graças a elas, a mortalidade e a morbilidade de muitas doenças diminuiu drasticamente ou desapareceu por completo.
    As vacinas permitem salvar mais vidas e prevenir mais doenças do que qualquer outro tratamento médico. 
    O Programa Nacional de Vacinação é um programa universal e gratuito, que inclui as vacinas consideradas imprescindíveis para um crescimento saudável de todas as crianças.
    As vacinas que integram o Programa Nacional de Vacinação foram aprovadas tendo em consideração a sua qualidade, eficácia e segurança.

 

  • Diversificação alimentar
    A introdução de novos alimentos deve ser encarada como um processo natural. Os problemas são a exceção e não a regra, pelo que a ansiedade apenas atrapalha e deve ser deixada de lado.
    As razões que levam os Pediatras a escalonar a ordem de introdução dos novos alimentos estão relacionadas com o seu valor nutricional, a facilidade com que a criança os pode digerir, o seu sabor e a possibilidade de desencadearem alergias.
    Existem algumas regras simples que devem ser seguidas, mas que não devem ser encaradas com muita rigidez. O pediatra que segue o seu bebé pode preferir algumas variações em relação ao esquema apresentado, que estarão também corretas, pois não há apenas uma forma de introduzir os novos alimentos.