Tudo o que precisa de saber sobre o vinho tinto
Tipos de vinho

Tudo o que precisa de saber sobre o vinho tinto

De cores fortes e sabor intenso, o vinho tinto apresenta uma enorme versatilidade. Saiba mais sobre este tipo de vinho.

A casta, o clima, o solo, a idade, o método de envelhecimento – estes são apenas alguns dos fatores que influenciam o vinho tinto. Descubra quais as características dos vinhos jovens ou de guarda e que receitas acompanham melhor.

Produção do vinho tinto

Os vinhos tintos são produzidos a partir de variedades de uvas tintas, com maceração, isto é, com contacto entre as películas e o mosto.

O resultado final depende da casta, da idade do vinho, e do método de envelhecimento. Dependendo do estágio que têm, podem ser tintos para consumir jovens ou tintos de guarda.

A paleta de cores do vinho tinto varia entre o vermelho vivo, o rubi ou vermelho-púrpura. Os vermelhos vivo e púrpura, normalmente são cores típicas de vinhos jovens, sendo que à medida que vão envelhecendo, os vinhos vão perdendo matéria corante e a nova cor apresenta-se com tonalidades atijoladas.

Como consumir vinho tinto

O vinho tinto presta-se à harmonização de diversos pratos. Mas o tempo de estágio, que determina se o vinho é jovem ou de guarda, é determinante no momento da escolha.

Tintos jovens

Os tintos para consumir jovens apresentam aromas frutados, por vezes florais, dependendo da região e casta. Com corpo médio e adstringência equilibrada, são adequados para acompanhar pizzas, massas, bacalhau ou pratos de carne pouco elaborados, devendo ser servidos entre os 14º e os 17ºC.

Tintos de guarda

Já os tintos de guarda, quando novos, têm boa profundidade de cor, aromas complexos e intensos, e uma boa estrutura e taninos persistentes. No seu apogeu, que pode levar quase uma década a atingir, apresentam aromas delicados e subtis, mas de grande complexidade. Na boca, o vinho amacia, mas mantém-se equilibrado.

O que é que o vinho tinto tem?

Existem diferentes tipos de vinho tinto, com diferentes características, que têm origem na variedade de uvas tintas utilizadas na sua produção. Consoante o seu estágio, podem ser consumidos jovens ou ser tintos de guarda, diferenciando-se entre si no que respeita, essencialmente, ao sabor.