Alimentos

Dióspiros: vitamina, doce vitamina

Os dióspiros são doces e saborosos, com alto teor em fibra e uma excelente fonte de vitamina A. Descubra tudo sobre as vantagens e propriedades deste fruto.

Com duas cores e duas texturas distintas, o dióspiro é um fruto muito apreciado e com vários benefícios para a saúde. Descubra todas as vantagens e propriedades do dióspiro.

Os benefícios dos dióspiros

Entre as vantagens do consumo regular de dióspiros, destacam-se as seguintes.

Saúde da pele e da visão

O dióspiro é fonte de vitamina A, cuja ação contribui para a manutenção de uma pele e visão saudáveis.

Sistema imunitário

O consumo de dióspiro contribui para a manutenção do normal funcionamento do sistema imunitário, essencial para combater as gripes e constipações que surgem quando os dias começam a ficar mais frios.

Promove a saciedade

Os dióspiros são ricos em fibra, contribuindo para prolongar a sensação de saciedade. Contudo, é necessário ter em atenção à quantidade e frequência de consumo, pois apresenta um teor em açúcares elevado.

Estes benefícios podem ser encontrados nas duas versões encontradas em Portugal.

Tipos de dióspiros

Em Portugal, os dióspiros podem ser encontrados em duas versões

Mole

Estes dióspiros comem-se à colher, têm um tom mais avermelhado, textura suave e sabor doce intenso,

São adstringentes, os mais comuns e necessitam de uma maturação adequada para poderem ser consumidos, ou seja, têm que estar totalmente maduros. De outra forma os taninos presentes no fruto fazem com que "trave na boca”, deixando-a áspera e com uma sensação desagradável.

De roer

Os dióspiros de roer apresentam uma cor laranja intensa, textura mais dura e sabor menos doce.

Estes dióspiros não são adstringentes e incluem as variedades Fuyo, Hana Fuyo, O Gosho, Giro, Cal-fuyo, Fau-fau e Sharon. Podem consumir-se de imediato após a colheita e comer-se como se fossem maçãs.

Mas seja qual for a sua variedade o dióspiro é praticamente constituído só por polpa, de aparência gelatinosa e fresca, composta basicamente de mucilagem (substância gomosa que se encontra em quase todos os vegetais) e pectina (um polissacárido complexo), responsáveis pela sua aparência característica.

No que diz respeito ao seu teor de açúcar, este varia entre os 14 e os 18%, superando o da maioria das frutas de consumo popular.

Origem dos dióspiros

Proveniente da Ásia, mais precisamente da China, o dióspiro foi daí levado para a península da Coreia, para a Índia e para o Japão, onde se cultiva desde o século XVII. Com o passar do tempo, difundiu-se pelo resto do mundo. 

Em Portugal existem pomares de dióspiros bem conduzidos, regados e com boa produtividade, localizados sobretudo na região do Algarve. A área ocupada por esta cultura é de cerca de 231 hectares, dando origem a uma produção superior a 2.900 toneladas anuais. A época de comercialização ocorre desde o início de outubro até meados de dezembro.

Como consumir dióspiros

Geralmente, os dióspiros são consumidos ao natural, com canela ou secos. Podem ser ainda utilizados em recheios para tartes, bolos e biscoitos, em mousses, batidos, iogurtes e saladas.

Ao comprar dióspiros, deve escolher frutos com pedúnculo e cálice, brilhantes, sem manchas na casca e sem fissuras. Se os dióspiros não estiverem totalmente maduros, devem ser colocados em local fresco e arejado para completar a maturação. Se estiverem maduros, o ideal é guardá-los no frigorifico por 4 ou 5 dias.

O que é que o dióspiro tem?

Extremamente nutritivo e excelente fonte de vitaminas, o dióspiro traz vários benefícios para a saúde.  Seja o de tom alaranjado e de “roer”, ou o de tom avermelhado e de “abrir” e comer à colher, este fruto acompanha a chegada do outono. Inclua-o na sua dieta.