System.Web.Mvc.HtmlHelper`1[System.Object]

Nutrição

Alimentação infantil saudável: como incentivar?

A alimentação das crianças é um tema que levanta inúmeras questões. Saiba como incentivar uma alimentação equilibrada!
A alimentação das crianças é um tema que levanta inúmeras questões. No fundo, todos os pais querem o melhor para os seus filhos e é necessário desmistificar alguns conceitos para facilitar as escolhas e não fazer da alimentação saudável um “bicho de sete cabeças”.

Como incentivar a alimentação saudável das crianças?


Incentivar uma alimentação equilibrada parece muito mais complicado do que é na realidade. Tendemos a acreditar que são necessárias inúmeras estratégias para que as crianças comam melhor. Porém, o “truque” está em dar o exemplo e ser o reflexo do que queremos que os nossos filhos sejam.

Por norma, os filhos veem tudo o que os pais fazem. Assim, se os pais adotarem uma alimentação saudável, a aceitação dessas práticas por parte dos nossos filhos será maior.

Nutrição infantil: Que alimentos evitar?


Para que possa proporcionar uma alimentação mais saudável às crianças, é recomendado seguir as orientações da ESPGHAN (European Society for Paediatric Gastroenterology Hepatology and Nutrition). A ESPGHAN enumera alguns alimentos que devem ser evitados:

Sal e açúcar


O sal e o açúcar são alimentos prejudiciais à saúde e cujo consumo deve ser reduzido ou mesmo evitado. Os pais devem também estar atentos a produtos processados que contenham um alto teor destes ingredientes.

Mel


O mel é um produto que só pode ser dado às crianças após os 12 meses de idade, pois os esporos de Clostridium botulinum que o mel contém podem causar botulismo infantil.

Funcho


O funcho em forma de óleo e chá deve ser também evitado até aos 4 anos. Esta recomendação surge devido à falta de dados sobre o efeito do estragol, um carcinogénico genotóxico natural.

Bebidas vegetais


As bebidas vegetais à base de arroz não devem fazer parte da alimentação dos bebés e crianças, de forma a evitar a sua exposição ao arsénio inorgânico, comummente encontrado neste cereal.

Uma boa dica passa por descascar mais e desempacotar menos. Ou seja, deve reduzir o consumo de alimentos embalados e processados, com especial foco nos produtos ricos em sal, gordura e açúcar.

Acima de tudo, o importante é fazer escolhas conscientes e saudáveis, prestando especial atenção à composição dos produtos através da leitura do rótulo.

Qual o papel dos doces numa alimentação infantil saudável?


É essencial educar as crianças para que saibam o que faz parte da rotina e o que é uma exceção. A exceção deverá ser uma ocasião especial, uma festa por exemplo, onde serão permitidos alimentos menos saudáveis.

Nestas situações incluem-se não só os doces, mas também os fritos e fast food. Quando estes alimentos são oferecidos em situações excecionais, a criança aprecia-os, com a consciência de que não fazem parte da sua alimentação diária. No entanto, se as crianças virem chocolates e guloseimas a serem consumidas diariamente pelos pais, vão achar que esses alimentos fazem parte da rotina.

Evite proibir as crianças de consumir estes alimentos. “O fruto proibido é o mais apetecido”, e é mesmo. Mais do que proibir, deve-se limitar o acesso a estes alimentos e explicar que estes não são alimentos saudáveis e que, por isso, só podem ser consumidos de vez em quando.

Como gerir as festas de aniversário?


Até as festas de aniversário podem ser saudáveis. Ideias simples como palitos de legumes com húmus ou guacamole já fazem parte de muitas mesas de festas.

Fruta em copos ou espetadas em palitos são outras alternativas que fazem toda a diferença e que os mais pequenos adoram.

Quando os alimentos são apresentados de uma forma divertida e criativa, as crianças sentem-se atraídas. Assim sendo, dê asas à imaginação e faça arranjos bonitos com produtos saudáveis.

Comida para criança: Quais os alimentos incentivar?


As lancheiras escolares devem ter sempre 3 elementos:
  • Cereais integrais, que pode ser em forma de bolachas, barritas, pão ou granola; 
  • Fruta ou legumes;
  • Fonte de gordura e proteína, que pode ser um laticínio, frutos secos ou sementes.

Alimentação Infantil Continente do Bebé


O Continente do Bebé é uma marca que nasceu para cuidar do seu bebé e ajudá-lo nos principais desafios da parentalidade, incluindo a alimentação infantil.

Se procura opções de snacks e lanches saudáveis para bebés e crianças, o Continente do Bebé oferece-lhe opções de origem biológica, tão deliciosas e nutritivas que vão desaparecer num instante, nomeadamente:

 

  • Cereiais: fonte de fibra e sems gordura hidrogenadas, corantes, aromas artificiais ou açúcares adicionados;

  • Muesli: com alto teor de fibra e tendo os flocos de aveia como principal ingrediente, no Continente do Bebé encontra muesli biológico de manga e damasco e morango e maçã.

  • Palitos: sem sal adicionado, são uma ótima fonte de fibra;

  • Papas: adaptada às várias etapas de crescimento, a gama de papas do Continente do Bebé é composta por duas primeiras papas sem glúten, indicadas a partir dos 4 meses, e três papas com frutas e 2 com aveia integral;

  • Purés: feitos com 100% frutas batidas, sem adição de açúcares nem conservantes, disponíveis dos 4 aos +8 meses, nos sabores: maçã, maçã e banana, multifrutos, pêra, maçã e pêra, banana, maçã, laranja e bolacha, 4 frutas e aveia e banana, tangerina e pêra;

  • Iogurtes: ideiais para crianças a partir dos 6 meses, estes iogurtes estão disponíveis em 2 sabores, natural e banana, laranja e bolacha, não contêm açúcares adicionados e são desenvolvidos com leite adaptado.

Com estas dicas, organize o frigorífico e a despensa e torne a alimentação da família mais saudável.