como comprar vinho
Saber Escolher

Tudo o que precisa de saber para comprar um vinho

O mercado nacional oferece um leque muito variado de vinhos. Descubra tudo o que precisa de saber para comprar um bom vinho.
Branco ou tinto? Maduro ou verde? Com tantas opções, encontrar um vinho harmonioso e de qualidade pode não ser tarefa fácil. Siga estas dicas para o fazer.

Ocasião

É importante saber ajustar a escolha a uma ocasião em especial. Cada momento pede um vinho diferente, tanto em termos de estrutura como de aroma e sabor. Um jantar de negócios ou um cocktail de verão exigem escolhas distintas. Uma tarde de calor ou um dia frio de inverno também. O vinho pode ainda ser misturado em cocktail ou sangria de verão e, nesse caso, os sabores do mesmo não são tão importantes, já que vão perder-se em certa medida na preparação da bebida final. 

Refeição

Um vinho para acompanhar um prato de peixe grelhado, não deve ser o mesmo para servir numa refeição quente e mais pesada.  Geralmente os vinhos brancos são indicados para pratos mais leves, tais como de frango ou peixe e, os vinhos tintos, para pratos mais pesados, como carne de bovino e cordeiro. No caso das receitas, o sabor do vinho mistura-se com o molho ou com a carne, conferindo um toque especial.

Feiras de vinhos

Durante todo o ano existem vinhos em promoção. No entanto, é quando se realizam as grandes feiras de vinhos que compensa repor o stock da garrafeira. Estas iniciativas permitem degustar alguns tipos de vinho e saber mais acerca do produto e do produtor, de forma a garantir compras informadas e com a certeza e garantia de satisfação. Estas são as alturas ideais não só para adquirir os vinhos que tem por hábito consumir e guardar em casa, mas também para conhecer e apreciar novos sabores e aromas. 

Prémios

Para garantir uma escolha acertada e com garantia de qualidade, pode optar por vinhos premiados. Um dos objetivos dos concursos de vinhos passa por facilitar o processo de compra e garantir ao consumidor que, independentemente da sua escolha, será uma escolha acertada.

Rótulos

É no rótulo que constam todas as informações acerca do produto. Indicadores como as castas que compõem o vinho, a sua região de origem, as denominações de origem (DOC – Denominação de Origem Controlada), e informação sobre se o vinho passou por um período de maturação e envelhecimento, estão sempre presentes neste elemento. A leitura do rótulo permite fazer uma compra consciente, na medida em fornece ao cliente todas as informações necessárias para saber exatamente aquilo que está a adquirir, fazendo com que a escolha vá de encontro às suas expectativas.

Número de pessoas

A ocasião é importante para selecionar o vinho mais indicado. Se procura um vinho que vá satisfazer o maior número de pessoas, pode optar por uma garrafa de branco e uma de tinto. As preferências sobre vinho são subjetivas, se tiver disponível um branco e um tinto vai conseguir responder a diferentes paladares. 
Além disso, pode optar por vinhos que se situam a meio do espectro de doçura, acidez e corpo, já que vinhos mais equilibrados têm tendência a apelar a mais pessoas.


Preferências de sabor

As preferências de sabor podem ser um grande indicador do vinho que irá apreciar. Se habitualmente tem preferência por coisas doces, é provável que um vinho doce vá ser agradável ao seu palato, mas se os sabores amargos são os seus preferidos, então um vinho mais ácido pode ser perfeito.

Segundos rótulos

Quando os vinhos respondem a alguns critérios de qualidade, recebem uma distinção à qual podemos associar de “primeiro rótulo”, estando disponíveis, por vezes, em edições limitadas de melhor qualidade e de castas de referência. No entanto, os vinhos de “segundo rótulo” podem ser uma alternativa excelente, uma vez que apresentam também qualidade, mas que, por serem de castas menos seletivas, com uvas que podem não estar tão maduras ou polidas, acabam por ser vendidos a outro preço.

Envelhecimento

O envelhecimento de um vinho depende de vários fatores, tais como a sua origem, quantidade de taninos, açúcares e ácidos que contém. Apesar de existir a perceção de que quanto mais velho, melhor será o vinho, não é assim tão linear. Em geral, o envelhecimento é um fator mais importante no que respeita aos vinhos tintos, cuja escolha deve tender para o ano da casta mais antiga. Mas a maioria dos vinhos não se destina a ser envelhecido, devendo ser consumidos até cinco anos após a compra.

Vinho nacional

Ao consumir vinhos de Portugal, estará a contribuir para a melhoria da qualidade e da estabilidade da fileira do vinho nacional, sendo também o seu prazer redobrado.

Registo

Quando experimenta um vinho, principalmente se não sabe bem qual a sua preferência, anote o nome, a região e a variedade da uva, para que possa começar por excluir o que não gosta e registar os que mais aprecia. Com o tempo, a compra de um bom vinho vai tornar-se mais fácil e rápida.

Apesar disto, não deixe de experimentar. Quando encontrar um vinho que goste, permita-se selecionar outro semelhante, talvez com a mesma região, mas com uma variedade de uvas diferente. Encontrará uma excelente oferta nas garrafeiras do Continente e no Continente Gourmet.