Alimentos

Farinha: vários tipos, muitos usos

Desde a sua forma mais básica, até aos novos preparados especiais, a farinha é um produto multifacetado e indispensável nas nossas casas. Descubra tudo sobre as vantagens e propriedades deste alimento.

De trigo, aveia, centeio, milho, mandioca, cevada, arroz, soja, batata, sorgo, grão-de-bico, quinoa, araruta, coco... As matérias-primas são muitas e variadas para um só resultado: farinha.

De todos estes alimentos se pode fazer farinha, que é o ingrediente-base de centenas de produtos alimentares, do pão às bolachas, passando por snacks, cereais de pequeno-almoço ou massas alimentícias, e que é também o ingrediente de inumeráveis receitas, tanto doces como salgadas.

Devido aos cereais que dão origem às diferentes farinhas, este alimento é considerado equilibrado e fundamental ao organismo. Descubra toda a versatilidade e vantagens para o organismo da Farinha.

Os benefícios da farinha

A farinha é um pó desidratado, rico em amido, obtido geralmente através da moagem de cereais. Com características e composição únicas, os grãos de cereais possuem glícidos, proteínas, lípidos, sais minerais e ainda oligoelementos, vitaminas e enzimas - particularidades que lhes conferem o estatuto de alimento benéfico para o organismo.

Tipos de farinha

Existem diferentes variedades de farinha que pode encontrar, que diferem no cereal que lhes dá origem. 

Farinha de trigo

É a farinha de cereal mais consumida (a de mandioca tem também um consumo muito expressivo). Contém glúten que, quando misturada com água, forma uma massa elástica que se expande no forno.

Farinha de centeio

Com uma pequena quantidade de glúten, é usada para produzir pães escuros. É frequentemente misturada com farinha de trigo para produzir pães com uma melhor textura.

Farinha de aveia

É sobretudo usada para os cereais matinais. A nível nutricional é a mais completa de todas as farinhas.

Farinha de cevada

Pode encontrar-se em alimentos para bebés e leites maltados. Em alguns países é usada no fabrico de pão.

Ao longo dos séculos, a farinha assumiu um papel fundamental na alimentação dos povos em todo o mundo. 

Breve história da farinha

Descobertas arqueológicas na Ásia revelaram que já há mais de 75 mil anos o homem usava pedras para moer os grãos de cereais para uso alimentar.

Com o passar dos tempos, os métodos de moagem foram-se aperfeiçoando, acompanhando os ritmos e conhecimentos de cada época. As pedras deram lugar à força do vento, da água e dos animais para fazerem girar as mós dos moinhos e estes acabaram por ser substituídos por meios mecânicos e industriais.

A mais antiga fábrica de moagem do país, a Fábrica do Beato, surgiu em 1843 em Lisboa. Com o tempo, a produção de farinha modernizou-se e tornou-se o ingrediente-base da alimentação.

Como consumir farinha

Já deve ter reparado que nas embalagens de farinha de trigo surgem indicações como “Tipo 55” ou “Tipo 80”. São as indicações da farinha mais adequada para cada receita, podendo assim obter os melhores resultados.

Tipo 45

Também conhecida como farinha flor, é feita de trigo, muito fina, e a mais refinada e branca de todas. É ideal para todas as confeções culinárias, de salgados a sobremesas, como bolos, queques e biscoitos, pão de ló e tortas, pois dá origem a doces muito fofos e de excelente qualidade.

Tipo 55

É uma farinha de trigo superfina e das mais utilizadas na culinária caseira. É especialmente indicada para a confeção de bolos, tartes, pastéis e massas lêvedas.

Tipo 65

Trata-se de uma farinha de trigo fina e é a mais utilizada na panificação, caseira ou industrial. O pão branco é o que mais se produz a partir desta farinha. Mas pode também ser utilizada em bolos, tartes ou pastéis.

Tipos 80 e 110

São farinhas de trigo semi-integrais que se utilizam na panificação industrial e caseira. Experimente-as na confeção de pão semi-integral para uma dieta equilibrada e saudável.

Tipo 150

É uma farinha de trigo integral muito utilizada na indústria da panificação. Faz parte de uma dieta saudável, dando origem a um pão rico em sementes, de textura compacta e mais escura. A sua utilização é cada vez mais frequente em bolos de fruta, bolachas e pastéis, por exemplo.

Como conservar farinha

Mas tão importante como saber escolher a farinha mais indicada para a receita que quer confecionar, é a forma como deve conservar este alimento.
  • Guarde a farinha na embalagem original ou num recipiente hermético e num local seco e fresco.
  • Se optar por usar um recipiente, lave-o e seque-o muito bem antes de o encher de farinha.
  • Nunca misture no mesmo recipiente farinha nova com farinha de um pacote já aberto.
  • Como a farinha absorve odores com facilidade, afaste as embalagens de detergentes, cebolas e outros produtos que emanem cheiros fortes.
O que é que a farinha tem?

Um alimento usado há milhares de anos pelos nossos antepassados, a farinha é o ingrediente base para diferentes receitas tão presentes na nossa cultura. A riqueza dos cereais utilizados faz com que este alimento seja importante para o nosso organismo, quando consumido em quantidade moderada.

Atreva-se a fazer em casa aquele pão que tanto gosta, escolhendo a melhor variedade e o melhor tipo de farinha para tal. Venha ao Continente e descubra as nossas ofertas.