Vinho espumante
Tipos de vinho

Espumante: festivo e versátil

O espumante é um tipo de vinho que associamos a momentos de festa, mas que tem tudo para ir muito além desta missão original. Descubra tudo sobre os vinhos espumantes.
Os espumantes acompanham as festividades desde sempre. Mas desengane-se quem pensa que apenas se servem em festas. Descubra as suas características e formas de consumir espumante no dia a dia.

Produção do espumante

Por definição, um espumante é todo o vinho que sofre uma segunda fermentação alcoólica e cujo gás carbónico, a típica “bolha”, é naturalmente retido no recipiente. 

O método da segunda fermentação pode variar devido ao local onde é feita:
  • Na garrafa: é denominado método tradicional ou champanhês.
  • Noutros recipientes fechados: é denominado método Charmat.
  • Através da passagem do vinho por diferentes tanques (onde o vinho fermenta e envelhece): é chamado o método contínuo.

Existe um tipo particular de espumante que, pelas suas características, atingiu uma fama própria: o champagne. Mas somente os vinhos espumantes provenientes da região francesa que lhe dá o nome podem receber esta denominação. E só três castas estão autorizadas para a sua elaboração, sendo uma branca, a casta Chardonnay e duas tintas, a Pinot Noir e a Pinot Meunier.

Tipos de espumante

Em Portugal, temos bons vinhos espumantes naturais, nas variantes branco, tinto e rosé. Quanto ao Champagne, subdivide-se em várias tipologias:

Normal

Este espumante é feito com vinho de reserva, proveniente de anos diferentes;

Millésime

Feito com vinho de um só ano, para conservar a expressão única desse mesmo ano.

Champagne Rosé

O Champagne Rosé é feito com uma parte de vinho tinto Champagne.

Blanc de Blanc
 

Esta variedade é produzida apenas com uvas brancas.

Blanc de Noir

Ao contrário do anterior, o Blanc de Noir é feito apenas com uvas tintas.

Monocru

É feito com uvas provenientes apenas de uma sub-região.

Como consumir espumante

O vinho espumante é dos mais versáteis à mesa que poderá encontrar. Dependendo do perfil, que pode ir de doce até ao bruto natural sem nenhum tipo de açúcar adicionado, as ligações à mesa poderão ser infindáveis. Mais: na versão Bruto ou Bruto Natural tem menos calorias que qualquer outro vinho.

Existem alguns pratos específicos que combinam bem com determinados tipos de espumante.

Peru assado no forno

Harmoniza com espumante branco com alguma evolução e envelhecimento. O envelhecimento permite a adição de alguns aromas extra, tais como frutos secos, avelãs e notas fumadas.

Carne de porco assada

Combina com espumante rosé, elaborada a partir de Baga, Pinot Noir, entre outros.

Pernil de porco assado

Perfeito com espumante branco menos seco ou até meio-seco. Uma vez que o pernil é gorduroso e tem sabores adocicados, combina na perfeição com espumantes com açúcar residual equilibrado sempre com boa acidez e bouquet.

Peixe cozido ou grelhado com batata e legumes

Experimentecom espumante branco seco jovem. Com um peixe normalmente mais salgado, este tipo de espumante permite uma presença de fruta fresco no paladar.

Marisco e carnes brancas

O Champagne vai muito bem com ostras, trufas, carnes brancas e queijos, mas procure não harmonizar com carnes vermelhas, acompanhadas de molhos encorpados ou queijos muito fortes.  O Champagne Brut ou Rosé é recomendado para acompanhar com pratos salgados e, o Demi-sec, com os doces.

O Champagne deve beber-se fresco, mas jamais gelado, uma vez que a frescura demasiado acentuada perturba a perceção dos aromas e sabores. Quanto mais jovem e vivo, mais fresco deve ser servido, a cerca de 8ºC. Mas se se tratar de Champagne maduro, deverá ser servido a 10ºC. 

O que é que o espumante tem?

Para além de protagonista das festas, o espumante é facilmente combinado com a gastronomia, desde os pratos principais às sobremesas, dos salgados aos doces. O gás carbónico e a mousse que lhe dão fama conferem a este tipo de vinho características únicas. Descubra a gama de espumante do Continente.