Alimentos

Figo: fruto de uma história milenar

O figo combina um longo passado e um sabor intemporal. Descubra tudo sobre as vantagens e propriedades deste fruto.

De textura delicada, os figos são nutritivos, de sabor requintado e doce. Versáteis a nível gastronómico e com propriedades benéficas para a saúde, estes fruto tem uma história que se perde na origem dos tempos. Descubra tudo sobre as propriedades, origem e benefícios dos figos.

Os benefícios dos figos

Estes são os principais benefícios para a saúde do consumo regular de figos.

Fonte de energia
A nível nutricional, os figos são uma fonte rica em fibra, minerais (potássio, cálcio, ferro, fósforo, sódio, magnésio, cobre e zinco) e vitaminas (A, B1, B2, B5 e C). Além disso, por serem ricos em açúcar, constituem um alimento muito energético, sobretudo quando secos.

Regulação do sistema nervoso

Devido às suas propriedades, os figos são laxantes, digestivos e diuréticos, ajudam a ultrapassar o esgotamento, estimulam a capacidade de concentração, melhoram o ânimo e eliminam o nervosismo.

Poder desintoxicante

Os figos fazem bem ao fígado, são depurativos do sangue e desintoxicantes, além de nutritivos, porque apresentam uma grande quantidade de açúcar natural. São também fonte de benzaldeído, um agente anticancerígeno, e de flavonoides e antioxidantes.

Breve história de figos

Os figos são o fruto da figueira-comum (Ficus carica), uma árvore que hoje em dia está presente em quase todo o planeta, mas a sua origem remonta à região mediterrânica da Idade da Pedra.

O certo é que se trata de uma das primeiras plantas cultivadas pelo homem e os povos da Antiguidade eram apreciadores dos seus frutos que, para muitos, eram mais do que um simples alimento.

Na Grécia, faziam parte do prémio atribuído aos vencedores dos Jogos Olímpicos. Xerxes, o rei persa, após ser derrotado pelos gregos na batalha de Salamina, em 480 a.C., comeu figos de Ática para se recordar que não conseguira conquistar a terra onde aquela fruta tinha crescido. O escritor romano Plínio reconhecia-lhes as qualidades medicinais, afirmando que os figos eram “restaurativos, aumentam a força das pessoas novas e mantêm os idosos com boa saúde”.

Em finais do século V, por altura da queda do Império Romano, a figueira espalhou-se pela Europa, chegando então a Espanha e a Portugal. Durante a época dos Descobrimentos, a árvore chega ao continente americano.

Degustar um figo é recuar ao confim dos tempos e partilhar mesa com príncipes e imperadores



Ficava assim terminada a epopeia da expansão global do figo. Em Portugal, o Algarve é responsável por cerca de metade da produção nacional, seguido do Ribatejo e da zona Oeste, do Alentejo e de Trás-os-Montes.

Como consumir figos

Frutos de Verão por excelência, os figos possuem uma estrutura carnuda e suculenta, são doces e delicados. Consoante a variedade, a sua cor pode ir do branco-amarelado ao roxo e a sua textura e sabor requintado também mudam subtilmente.

Regra geral os figos são consumidos frescos ou secos. Estes últimos são obtidos mediante a desidratação dos frutos, que passam a apresentar-se amassados, flexíveis, de cor cinzenta, violeta ou parda, com polpa amarelada e ligeiramente viscosa.

Mas a sua versatilidade não se fica por aqui, pois também podem ser apreciados em conserva, em compota, cristalizados ou em pasta, como recheio de doces, em mousses, cremes e molhos e ainda como ingrediente nas mais variadas receitas.

A Organização Mundial de Saúde recomenda o consumo de pelo menos 400g de hortofrutícolas (fruta e hortícolas), o correspondente a 5 porções destes alimentos (preferencialmente 2 porções de fruta e 3 de hortícolas), de forma a prevenir o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, obesidade e alguns tipos de cancro. Uma porção de figo corresponde em média a 100g (2 figos - pequenos).

Como conservar

Por serem uma das frutas mais perecíveis, os figos devem ser comprados com pouca antecedência em relação ao momento de consumo.

Dado que os figos têm uma natureza delicada e podem ser esmagados com facilidade, devem ser guardados no frigorífico cobertos ou envolvidos num pano. Desta forma, evita-se que sequem, que fiquem esmagados e que adquiram odores de outros alimentos que estejam à sua volta. Caso não estejam completamente maduros, podem ser deixados à temperatura ambiente, resguardados da luz direta do sol.

Os figos secos mantêm as suas caraterísticas durante vários meses e devem ser mantidos num local fresco e escuro ou guardados no frigorífico. É de evitar deixá-los por muito tempo expostos ao ar, para que não fiquem duros ou secos. 

O prazer de degustar um figo

Degustar um figo é recuar ao confim dos tempos e partilhar mesa com príncipes e imperadores. Para além de uma história milenar que se cruza com a da Humanidade, os figos têm propriedades únicas que o tornam um aliado de qualquer dieta saudável. Descubra a nossa gama numa loja perto de si ou no Continente Online.