coco
Alimentos

Coco: repleto de nutrientes

Descubra os principais benefícios do coco para a saúde, como escolher estes frutos e como os incluir numa dieta saudável no dia-a-dia.
O coco é uma fruta tropical e refrescante com uma excelente composição nutricional.

Os benefícios do coco

A ingestão deste fruto aporta vitaminas B e C, sais minerais como o fósforo, potássio, cálcio, sódio, ferro, zinco e magnésio.

Como consequência desta composição, o coco tem vários benefícios:

Energia

Devido à riqueza em gordura, o coco é uma ótima fonte de energia, contribuindo para o metabolismo normal e para a redução do cansaço e fadiga.

Ossos e dentes

O fósforo contribui para a manutenção dos ossos e dentes normais, estando presente no coco em quantidades apreciáveis.

Coração

O coco é também um bom regulador da pressão arterial, fruto do potássio presente no alimento, contribuindo para a saúde do coração. Como possui muito ferro, o coco ajuda também à formação normal de glóbulos vermelhos e de hemoglobina, e ao nível do transporte de oxigénio às células.

Assim, o coco é uma fruta com mais valias para a saúde e bom funcionamento do nosso organismo, com propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, antibacterianas, antifúngicas, antimicrobianas e antivirais.


Origem do coco 

Estudos genéticos parecem indicar que a origem deste fruto tropical foi na região entre o Sudoeste Asiático e a Melanésia, sub-região da Oceânia no Pacífico. A evidência literária, por outro lado, demonstra que o coco estava presente no subcontinente indiano antes do século I a.C.

Mas a descrição direta mais antiga surge apenas em 545 d.C., por Cosmas Indicopleustes, mercador grego que descreve o Coco como “a grande noz da Índia”.

O termo coco tem origem na língua portuguesa, significando cabeça


No Ocidente, o fruto foi originalmente chamado nux indica, um nome usado por Marco Pólo em 1280 quando estava nas terras de Sumatra, uma ilha da Indonésia.

O nome do futo como o conhecemos hoje terá surgido em 1521. Reza a história que os exploradores portugueses se cruzaram com habitantes das ilhas do Pacífico que envergavam uma carapaça do coco a fazer lembrar uma bruxa chamada Coca, ser mítico com origem em Portugal e Galiza que surgia quando as crianças desobedeciam a seus pais.

O termo “coco” terá assim origem na língua portuguesa, significando “cabeça” ou “crânio”, devido aos 3 pontos escuros sempre presentes nesta fruta que assemelham a fruta a uma face.

Como consumir coco

Segundo a Organização Mundial de Saúde, diariamente dever-se-á promover o consumo de pelo menos 400g de hortofrutícolas (fruta e hortícolas), o correspondente a 5 porções (preferencialmente 2 porções de fruta e 3 de hortícolas) destes alimentos, de forma a prevenir o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, obesidade e alguns tipos de cancro. Uma porção de coco corresponde em média a 80g.

O coco, apesar de ser comercializado de diferentes formas, deve ser preferencialmente consumido na sua forma mais natural, para que os nutrientes sejam aproveitados na totalidade.

Basta cortar a polpa do Coco aos pedaços para apreciar o fruto. No entanto, é uma fruta que pode ser facilmente utilizada em gelados ou batidos.

A muito conhecida água de coco, armazenada numa cavidade envolta pela polpa branca, é também muito nutritiva, hidratante e refrescante.

Como escolher e conservar

Quando estiver a escolher cocos, tenha em atenção que este não deve apresentar tonalidade negra nem fissuras na casca.

Para uma conservação ideal, deve deixar o coco numa fruteira, idealmente à temperatura ambiente, juntamente com as restantes frutas da casa.

Deve ser consumido até, no máximo, 15 dias para atingir o melhor sabor possível.

Coco, fruta deliciosa e sã

O coco é uma fruta deliciosa e saborosa, com inúmeros benefícios para a saúde e uma ótima escolha para os desportistas. No Continente, poderá encontrar cocos de excelente qualidade, prontos para serem consumidos ao natural, ou utilizadas em sumos, sobremesas ou compotas. Visite as nossas lojas ou online e conheça este e outros frutos que oferecemos.