Couves
Alimentos

Couves: versáteis e deliciosas

Se quer preservar a sua saúde, as couves não podem faltar à mesa. Conheça todos os benefícios deste alimento e como lhe dar uso no dia-a-dia.

As couves são um dos melhores acompanhamentos da culinária mediterrânica. Têm uma forte tradição na cozinha portuguesa e combinam com quase tudo. Estes superalimentos são muito ricos em nutrientes diferentes, nomeadamente vitaminas e minerais.

Apresentam um baixo valor calórico, mas satisfazem muito bem o apetite por serem ricos em fibras. Podem e devem ser consumidos em abundância. Descubra todas as vantagens de consumir couves.

Os benefícios das couves

Se a ideia é preservar a saúde e ficar longe da doença, as couves não podem faltar à mesa. São alimentos muitos ricos em nutrientes, nomeadamente em vitaminas A, B, C, K e E, potássio, ferro, fósforo, cálcio, cobre e compostos de enxofre. Também entram na sua constituição os hidratos de carbono e as fibras e, em menor quantidade, as proteínas e as gorduras.

Estas são as vantangens para a saúde do consumo regular de couves:

Pele e Visão


As couves de folha são fonte de vitamina A, cuja ação contribui para a manutenção de uma pele e visão saudáveis.

Coração

Algumas couves são ainda importantes fornecedoras de potássio, um mineral que contribui para manter os níveis normais da pressão arterial.

Ossos e Dentes


O cálcio encontrado, por exemplo, nos grelos de couve e na couve galega tem um papel importante na saúde dos ossos e dentes.

Detox

Estas hortaliças apresentam uma boa ação laxativa pela sua grande quantidade de fibras, principalmente celulose. Alimentos com ação anti-inflamatória e diurética, que ajudam a baixar o teor de açúcar no sangue, o seu uso medicinal tem especial relevância nos problemas digestivos, gastrites, úlceras pépticas, colite e diverticulite.

Gravidez


O ácido fólico, vitamina encontrada em quantidades consideráveis em todas as variedades de couves, desempenha um papel essencial na gravidez. Esta vitamina contribui para o crescimento normal dos tecidos e formação do sangue.

Nenhuma couve por si só tem todos os nutrientes de que o organismo necessita. Por isso, o ideal é variar. 

Tipos de couve

As couves dividem-se em 3 grandes grupos: repolho, inflorescência e de folhas

Couves de repolho ou de cabeça

Neste grupo, estão incluídas todas as couves que formam um único repolho terminal, como a couve-branca, a couve-lombarda, a couve coração, a couve-roxa e a couve chinesa.

Couves de inflorescência

São todas as espécies cultivadas pela sua inflorescência (ou seja, são consumidas antes da abertura das flores), tais como a couve-flor, o brócolo e a couve romanesca. É neste conjunto de couves que temos visto as maiores inovações nos últimos anos. Como exemplo, podemos citar as couves-flor coloridas e os “pequenos brócolos” – os Bimis® que resultam de um cruzamento natural de uma couve repolho oriental Kai-LAN e brócolos.

Couves de folhas

Neste grupo, temos a couve-tronchuda, também conhecida como couve-penca ou couve-portuguesa e a couve-galega.

Os benefícios terapêuticos da couve são conhecidos e apreciados por toda a Europa desde há milhares de anos



A couve portuguesa resultou provavelmente da hibridação entre formas de couves de repolho e formas de couves de folhas e foi selecionada na Península Ibérica. Já a couve-galega é típica do norte do país e é com este tipo que se prepara o tradicional caldo verde.

Ainda neste grupo, estão incluídas as couves Kale e a couve Packchoi, originárias da Ásia e que têm cada vez mais apreciadores em Portugal.

Breve história das couves

As couves foram provavelmente domesticadas antes de 1000 A.C., talvez pelos Celtas em terras centrais e ocidentais da Europa.

No entanto, existe evidência recente tanto linguística como genética que parece mostrar uma origem mediterrânica para as cultivações de couves. As diferentes variedades de couves foram obtidas a partir da espécie selvagem, conhecida há séculos, através de cruzamentos e seleções para atender às diferentes condições climáticas. Os benefícios terapêuticos da couve são conhecidos e apreciados por toda a Europa desde há milhares de anos.

A variedade das couves de repolho ou de cabeça era conhecida pelos Gregos como krambe e pelos Romanos como brássica ou olus. A versão das couves de folhas, por outro lado, era denominada caulis em latim e raphanos em grego.

Nos primeiros tempos do Império Romano, já era comum ver artesãos e seus filhos a comerem couves, juntamente com uma grande variedade de vegetais e era considerada por muitos romanos um alimento de luxo.

Como escolher

Para melhor aproveitar tantas propriedades e nutrientes, é preciso ficar atento na hora da compra.
  • A coloração e textura das folhas sinalizam se está em condições para o consumo. Devem ter uma coloração viva e sem marcas de picadas de insetos.
  • As folhas devem ter aspeto de produto fresco, ou seja, sem manchas escuras ou amarelas e com os talos firmes.
  • As couves de inflorescência, como a couve-flor e os brócolos, devem ter os conjuntos firmemente agrupados e sem sinais de descoloração.
Como conservar

Se não pretender consumi-las logo após a compra, deve conservá-las numa embalagem aberta no frigorífico por três a quatro dias. Para evitar que o frio estrague as couves, guarde-as nas gavetas inferiores, em sacos próprios ou embrulhadas em plástico.

Como consumir

A forma ideal de preparar e consumir depende do tipo de couve em questão.

Couves de repolho ou de cabeça

Ao invés de lavar, pode simplesmente remover e descartar a primeira camada de folhas sujas e mais endurecidas. A forma mais simples de fazer isto é cortá-la ao meio ou em quatro e, depois remover a porção dura. Pode cortar as folhas de acordo com a sua preferência.

Couve-flor

Experimente cozida, assada ou gratinada. A couve-flor é bastante versátil e com ela conseguimos fazer diferentes pratos. Uma sugestão rápida e deliciosa é um caril de legumes com couve-flor.

Brócolos

Prefira-os cozidos, em quiches ou salteados. Se procura uma ideia de receita prática com este tipo de couve, experimente uma bowl de arroz com frango e feijão.

Couves de folha

As couves de folha, como a Pakchoi ou Kale, podem ser cortadas ou separadas das suas folhas e depois lavadas. Corte e descarte a porção endurecida da couve de repolho.

São ótimas cozidas e salteadas. Se cozer folhas de couve inteiras, poderá consumi-las como acompanhamento de um prato ou fazer uns rolinhos de couve que para além de encantarem pela beleza, são deliciosos.

Aproveite toda a variedade e versatilidade culinária e inclua couves na sua alimentação. A sua saúde e da sua família serão as maiores beneficiadas.

Conclusão: O que é que as couves têm?

As couves são uma fantástica e deliciosa hortaliça cuja rica diversidade nutricional ajuda a satisfazer as necessidades diárias de substâncias como vitaminas, minerais e fibras, permitindo um alívio rápido do apetite com um consumo baixo em calorias.

A sua versatilidade na cozinha e benefícios para a saúde tornam este vegetal um alimento de consumo essencial durante as refeições.