Vinhos vintage
Tipos de vinho

Vinho vintage: património líquido

O Vinho vintage, fruto de uma colheita extraordinária, é mais do que uma simples bebida. É uma herança para passar entre gerações à espera da ocasião certa para celebrar. Descubra o que são e como escolher.
Perfeito para uma ocasião especial, o vinho Vintage é mais do que uma bebida: é um marco, um statement, uma forma de sinalizar um momento para a posteridade. É algo a recordar. Mas afinal, o que é um vinho vintage?

O que é um vinho Vintage?

Para ser considerado Vinho Vintage, é necessário que estejam garantidos dois requisitos formais:
  • Tempo entre a colheita e o engarrafamento: deve ser de 2 anos;
  • Qualidade da colheita: deve ser de boa natureza superior.
Mas, para quem possui uma destas garrafas, o valor emocional é superior à frieza dos formalismos e ao prazo momentâneo de o degustar. Abre-se um vinho vintage para marcar uma ocasião especial, como o nascimento de um filho ou um casamento.

E há quem veja nestas garrafas o reflexo de uma história familiar de décadas e quem as guarde para a próxima geração. Afinal, esta é uma forma de património líquido que se torna parte da tradição familiar.

Tipos de vinho Vintage

A palavra Vintage é de origem inglesa e significa colheita. Por este motivo, a palavra não está ligada aos anos de engarrafamento de um vinho, mas sim ao momento da sua colheita.

Para um vinho ser considerado vintage, tem de ser submetido aos provadores dessa categoria no Instituto do Vinho do Porto.  Estes especialistas irão depois categorizar o vinho de acordo com os anos em que as colheitas foram extraordinárias:
  • Década de 60: 1963 / 1966 / 1970
  • Década de 70: 1977
  • Década de 80: 1983 / 1985
  • Década de 90: 1992 / 1994 / 1997 / 2000
  • Década de 2000: 2003 / 2007 / 2009
  • Década de 2010: 2011 / 2016 / 2017
No entanto, existem muito bons anos que não foram considerados vintage. Estes são denominados Late Bottled Vintage (LBV).

A história do vinho Vintage

Historicamente, as garrafas de vinho do Porto tinham uma base larga e pescoço curto. O seu principal objetivo era levar o vinho da pipa do taberneiro para a mesa e, uma vez vazias, seriam enviadas de volta para serem novamente cheias com vinho. Frequentemente, uma garrafa trazia as iniciais ou o brasão do seu proprietário.

Ao longo das décadas, à medida que as técnicas de produção evoluíam, as garrafas tornaram-se progressivamente mais estreitas e mais alongadas, com pescoço mais longo e menos cónico. Na década de 1770, as garrafas tinham-se tornado suficientemente cilíndricas para poderem ser guardadas deitadas.

Esta evolução da forma das garrafas, levou ao aparecimento do vinho do Porto Vintage, apto a ser armazenado e envelhecido em garrafeira. Segundo alguns historiadores, o primeiro vinho do Porto Vintage foi feito em 1775.

Como armazenar

Guardar garrafas de vinho é algo essencial para preservar a sua qualidade e propriedades. Para armazenar vinho do Porto, mantenha as garrafas longe de uma fonte de luz direta, num lugar onde não haja grandes flutuações de temperatura e, idealmente, onde a temperatura não exceda 15ºC.

Como harmonizar um vinho Vintage

Muitas vezes servido no final da refeição, juntamente com alguns queijos e frutos secos, o Porto Vintage também é excelente como aperitivo.

Idealmente, deve ser degustado com nozes, queijos azuis e outros queijos intensos. Também funciona muito bem com frutas secas, tais como os damascos e os figos.

O que é que o vinho vintage tem?

O ano e a qualidade da colheita ditarão se um vinho é vintage ou não. Pode beber-se ao natural ou acompanhado com frutos ou frutas secas, bem como queijos intensos. Venha descobrir a seleção de vinhos vintage que o Continente tem para si.