Vinhos Da Madeira
Tipos de vinho

Vinho da Madeira: aperfeiçoado durante séculos

O vinho da Ilha da Madeira é harmonioso e inigualável, perfeito para celebrar datas importantes, mas também para o dia-a-dia. Saiba mais sobre este tesouro tão procurado.
Dada a complexidade de aromas e características do vinho da Madeira, esta é uma excelente opção para o acompanhar em diferentes ocasiões. Aperfeiçoado ao longo de séculos, deixa quem o prova deslumbrado. Descubra as características deste vinho.

Origem do vinho da Madeira

Descoberta em 1419, a Ilha da Madeira cedo despertou o interesse do Infante D. Henrique, que investiu nas culturas da vinha e da cana-de-açúcar. As primeiras plantas de Tinta Negra, a casta mais disseminada da ilha, terão sido levadas dos portos de Lisboa ou do Algarve.

A celebração da independência dos EUA, em 1776, foi comemorada com um brinde de vinho Madeira.


A partir do séc. XVII, a aguardentação do vinho da Madeira tornou-se uma prática comum por garantir a estabilidade do néctar durante as longas viagens marítimas para mercados distantes. A produção de apenas 4 milhões de litros do vinho generoso DOC Madeira torna este produto numa preciosidade mundial e muito cobiçado.

De sabor inimitável, é mais amado e compreendido na América do Norte, Inglaterra ou Japão do que em Portugal Continental. A celebração da independência dos Estados Unidos, em 1776, foi comemorada com um brinde de vinho Madeira.

Tipos de vinho da Madeira

Existem quatro castas brancas vinificadas que dão origem à qualidade superior dos vinhos Madeira. A cada uma está atribuída um teor de doçura diferente: Sercial (Vinho Seco), Verdelho (Meio-Seco), Boal (Meio-Doce), Malvasia ou Malmsey (Doce). Muito rara é a quinta casta nobre, Terrantez, que aparece em poucos produtores. Sobre as suas uvas, dizem os madeirenses “não as comas nem as dês, para vinho Deus as fez”. 

Casta Sercial

É também conhecida por Esgana Cão, devido à sua notável adstringência e elevada acidez, e cresce também em outras regiões do Continente português. Trata-se de uma casta resistente ao míldio e oídio, que se caracteriza por cachos pequenos em forma de pinha e de bagos compactos e muito ácidos, de uma cor amarelo-esverdeado. Esta casta é cultivada principalmente no Norte da ilha e em Câmara de Lobos, a altitudes que poderão atingir 600 metros na costa sul e os 200 metros no Norte.

Casta Verdelho

É provável que a Verdelho, cultivada a cerca de 400 metros de altitude, seja oriunda do continente português, Açores ou de Itália. Esta casta caracteriza-se por cachos pequenos e médios, bagos oblongos e comprimidos lateralmente, com película resistente. Produz vinhos ligeiramente mais encorpados e menos ácidos que os provenientes da casta Sercial.

Casta Boal

Oriunda do continente português, a casta Boal apresenta cachos grandes e possui uma película resistente. É cultivada a uma altitude que varia entre os 100 e os 300 metros, produzindo vinhos medianamente encorpados e ricos, muito apreciados pelo seu equilíbrio acidez/doçura e pelo característico aroma adquirido com o envelhecimento em cascos.

Casta Malvasia

Esta foi a primeira casta a ser plantada na Ilha da Madeira, originária de Creta, na Grécia. Caracteriza-se por cachos grandes e cónicos, com bagos oblongos. Geralmente, encontra-se desde o nível do mar até aos 200 metros de altitude e, principalmente, na costa sul. O vinho destas castas era produzido pelos padres jesuítas, no século XVIII, e é considerado o rei dos Vinhos de toda a produção de Vinhos Madeira. É de tal forma apreciado e cobiçado, que chegam a atingir preços astronómicos em leilão.

Castas Terrantez

Esta casta encontra-se geralmente na costa sul da ilha, principalmente, na Calheta, em Câmara de Lobos e no Funchal. De amadurecimento precoce, carateriza-se por cachos pequenos, cilíndrico-cónicos, compactos e de pedúnculo curto. Os seus bagos são arredondados, pequenos e de cor verde-amarelado, com película fina e polpa de consistência mole.

Como consumir vinho da Madeira

Em geral, o vinho da Madeira é a companhia ideal para as sobremesas doces conventuais. Dada a sua complexidade de aromas e características, pode ser consumido a qualquer hora do dia ou da noite. Os Madeira Meio Seco acompanham as sopas na perfeição, os Meio Doce casam com os queijos e, os Madeira Doce são ideais para doces, chocolates ou para acompanhar o café.

Como escolher

No momento de escolher um Vinho da Madeira, confira o método e tempo de estágio associado:
  • Cubas de inox. Os vinhos Madeira básicos são elaborados através de estufagem, isto é, com o aquecimento por convexão em cubas de inox ou cimento. Não podem ser comercializados antes de 31 de outubro do segundo ano após a vindima.
  • Vinhos de Canteiro. Já os vinhos de canteiro, como são designados os estagiados em cascos, só poderão ser comercializados decorridos pelo menos 3 anos, contados a partir de 1 de janeiro do ano seguinte ao da vindima.
  • Categorias Especiais. As categorias especiais baseadas nas castas nobres evoluem em barricas, cascos ou tonéis, durante um mínimo de 2 anos, e dão origem a vinhos de uma só colheita ou com indicação da idade média.
O que é que o vinho da Madeira tem?

O vinho da Madeira é um néctar único, fortificado, com elevado teor alcoólico e considerado uma raridade mundial. O seu sabor harmonioso complementa com o grau de doçura, a acidez e o álcool, sendo o final de boca prolongado. De tal forma excecional, o vinho da Madeira consegue transpor fronteiras e angariar apreciadores ao nível mundial.