Gravidez psicológica em gatos
Comportamento

Gravidez psicológica em gatos: o que precisa de saber

A gravidez psicológica em cães é algo até relativamente comum. Mas em gatos nem tanto. Todavia, pode acontecer e não é motivo para pânicos. Descubra tudo o que precisa de saber sobre a gravidez psicológica em gatos.
Uma gatinha que atravesse um período de gravidez psicológica apresenta quase todos os sintomas e comportamentos de uma gravidez real - até à produção de leite e à escolha do ninho onde terá os bebés.

Isto pode acontecer por diversas razões e é mais comum em gatas que não estão esterilizadas e que nunca foram mães. Descubra as causas destes sintomas e o que fazer.

O que causa a gravidez psicológica?

Apesar de adjetivarmos este acontecimento como uma gravidez psicológica, a verdade é que na sua origem está uma causa biológica e natural. A gravidez psicológica em gatos é de natureza hormonal e surge normalmente com problemas após o cio das fêmeas.

Durante o cio, as gatas produzem um cisto no seu útero, quer acasalem ou não. Quando não ocorre a fecundação, este cisto tende a desaparecer. Quando não desaparece, origina os casos de gravidez psicológica, ativando todos os mecanismos normais de uma gravidez real.

A gravidez psicológica também pode acontecer em gatos que tomam injeções ou comprimidos para interromper o cio e evitar uma gravidez real indesejada. Nestes casos, deve informar o veterinário acerca da medicação que a gatinha está a tomar.

Os sintomas de uma gravidez psicológica

A gravidez psicológica manifesta-se pelos mesmos sintomas e comportamentos de uma gravidez normal.

Para que o dono identifique uma gravidez psicológica tem duas opções: ou tem 100% certeza que a sua gata não teve em contacto com um macho, ou leva-a ao veterinário.

Os sintomas de uma gravidez psicológica são os seguintes:
  • aumento de peso
  • inchaço na barriga
  • fim do ciclo do cio
  • aumento das glândulas mamárias e possível produção de leite
  • preparação do ninho para “os bebés falsos”
  • possível adoção de um objeto como “bebé”
  • alterações no apetite
  • vómitos
  • mais agressividade e irritação

O que fazer nestas situações

A primeira coisa que o dono deve ter em mente é aceitar e respeitar esta fase da sua gata. O animal acredita mesmo que está grávida e tem todas as razões biológicas para isso. Durante uma gravidez psicológica precisará de mais atenção, mas também de mais paciência por parte do dono, uma vez que estará mais agressiva, insegura e irritadiça. Tenha em mente que os sintomas podem durar vários meses.

O dono também deverá levar a gata ao veterinário que poderá aconselhar um tratamento adequado. Em alguns casos o veterinário poderá prescrever medicação homeopática. Se a gata estiver muito ansiosa e agitada, a erva valeriana poderá ajudá-la a acalmar.

Caso a gata chegue ao ponto de produzir leite, são necessários cuidados redobrados. A produção de leite sem que venha a ser usado por crias, pode originar problemas graves como a mastite. Nestes cenários, o veterinário deverá prescrever uma medicação que ajude a secar o leite da gatinha.

Como prevenir a gravidez psicológica em gatos

A melhor solução para evitar este problema é esterilizar as gatas. Isto faz com que o instinto natural do animal diminua, sem que prejudique a sua qualidade de vida.

Mesmo que uma gata já tenha passado por uma gravidez psicológica, aconselha-se a que proceda à sua esterilização.