Cenoura
Alimentos

Cenoura: um cocktail de saúde

Conheça os benefícios da cenoura, que vitaminas contém e que tipos de cenoura existem. 

Crua ou cozida, inteira ou ralada, a cenoura é um verdadeiro cocktail de saúde, que ajuda a manter o bom estado da pele e dos olhos. Não é por acaso que se diz “que faz os olhos bonitos”. Descubra os principais benefícios, como consumir, conservar e escolher.

Os benefícios da cenoura

A cenoura está tão presente na nossa alimentação que nem sempre lhe damos a devida importância. Mas se pararmos um pouco para conhecer mais este alimento, podemos mesmo ser surpreendidos.

A cenoura é rica em vitamina A, E e ácido fólico, bem como potássio, cálcio e fibras alimentares. Apresenta também açúcares simples (levulose e dextrose) de fácil absorção. Tem poucas calorias, uma vez que é constituída por cerca de 90% de água, o que lhe confere baixo valor calórico: 100g de cenoura crua fornecem 19 kcal e a mesma quantidade, quando cozida, apenas 17 kcal.

Estes são os principais benefícios.

Saúde da pele

A cenoura é um alimento vital à saúde das camadas internas e externas da pele, incluindo os pulmões e o sistema respiratório. 

Reforço do sistema imunitário e do coração

O ácido fólico presente na cenoura é fundamental para o bom funcionamento dos sistemas imunitário, de forma mais notória, mas também do cardiovascular. A fibra deste alimento ajuda ainda no trânsito intestinal e na redução dos níveis de colesterol do sangue. Diversos estudos têm revelado uma relação direta entre baixos níveis de betacaroteno no sangue e o aumento do risco de certos cancros. 
 
Propriedades antioxidantes

A cenoura é uma excelente fonte de betacaroteno (pigmento carotenóide antioxidante), que dá origem à vitamina A no organismo e que é responsável pela sua coloração alaranjada. A vitamina E também tem uma importante ação antioxidante, evitando danos nos tecidos.

Aliado da visão

Diz a sabedoria popular que comer cenouras faz bem aos olhos. De facto, a vitamina A presente neste alimento é um componente dos pigmentos visuais responsáveis pela receção de luz na retina dos olhos. 

Um dos primeiros sintomas de deficiência de vitamina A é a “cegueira noturna”, ou incapacidade de os olhos se adaptarem à escuridão. Em caso de deficiência nesta vitamina, basta comer uma cenoura por dia para melhorar a visão.
Tipos de cenoura 

Em Portugal, a cenoura é cultivada e comercializada ao longo de todo o ano, sendo que o período de maior produção se situa entre junho e novembro.
As zonas de maior produção nacional localizam-se nas regiões do Oeste e Ribatejo, seguidas de Aveiro e Entre Douro e Minho.

As diferentes variedades existentes a nível mundial distinguem-se pelo ciclo, forma, comprimento e coloração das raízes. Podemos distinguir vários tipos: Nantes, Chantenay, Parisiense, Amsterdam, Flakkee e Imperador.

A mais comum e também muito apreciada é a cenoura tipo Nantes, que corresponde a uma raiz cilíndrica lisa, bem arredondada na extremidade, com coloração laranja intensa e isenta de colo verde ou violeta.

Os outros tipos são utilizados principalmente na indústria de transformação, nomeadamente destinados à congelação, enlatados, produção de sumos e sopas industrializadas.
Breve história da cenoura

A cenoura pertence à espécie Daucus Carota, sendo o principal legume cultivado no mundo da família das Apiaceae. Trata-se de uma raiz de textura lenhosa, grossa e carnuda, sem ramificações, podendo ser longa, média ou curta, de formato cilíndrico ou cónico e de sabor adocicado.

O mais curioso é tratar-se de um vegetal originário do Afeganistão, mas que nessa altura pouco tinha que ver com as cenouras que consumimos atualmente.
Apresentava uma coloração roxa por fora e amarela por dentro, que não era mais do que um reflexo de pigmentos do fito-nutriente antocianina.

Mais tarde, quando os comerciantes árabes espalharam a semente da cenoura por vários continentes, surgiram variedades com diferentes tons de roxo, branco, amarelo, verde e até mesmo preto.

No entanto, estas versões não se tornaram populares na Europa - provavelmente devido ao facto de todas elas apresentarem uma textura resistente e fibrosa. A cenoura de cor alaranjada, que consumimos atualmente, apresenta uma textura mais agradável do que as suas antecessoras e teve origem no século XVI, na Holanda.

As cenouras tamanho médio são normalmente as mais saborosas

Como escolher

Na hora de escolher as cenouras, opte pelas que apresentam tamanho médio porque são normalmente as mais saborosas. Escolha as mais lisas, durinhas e de cor viva e uniforme. Dê preferência a cenouras inteiras, que não apresentem danos ou sinais de desidratação. Caso ainda traga a rama, esta deve ter um aspeto vivo e fresco.

Como conservar

As cenouras conservam-se durante bastante tempo quando armazenadas num local fresco e arejado.

No frigorífico, poderão ser conservadas na gaveta inferior durante uma a duas semanas, sem perderem as suas qualidades nutricionais.

No entanto, quando descascadas, raladas ou picadas, a sua durabilidade será menor, devendo ser conservadas no frigorífico ou congelador, dentro de um saco de plástico.

Como consumir

Pela sua versatilidade, paladar agradável e baixo custo, a cenoura consegue manter um lugar de destaque entre as hortaliças.

Pode ser consumida de muitas maneiras: in natura, raladas ou fatiadas, como ingrediente de saladas diversas e sumos. Podem ainda ser cozinhadas e combinadas com inúmeros outros alimentos, sob forma de sopas, cremes, molhos, soufflés, compotas e doces.
O que é que a cenoura tem?

Podemos dizer que a cenoura é um superalimento, um autêntico cocktail de saúde

Além de ser saborosa e acessível, confere inúmeros benefícios para a saúde. Entre eles, destacam-se as propriedades antioxidantes e o facto de ser uma verdadeira aliada para a visão.

Graças à sua versatilidade, a cenoura pode ser consumida de muitas maneiras e, por isso, torna-se muito fácil inseri-la em qualquer dieta.