Etapas do Crescimento

Desenvolvimento infantil: tudo o que precisa de saber

O grau de desenvolvimento infantil depende da hereditariedade e do ambiente que rodeia a criança. Descubra como avaliar e potenciar a evolução cognitiva do seu bebé.

 

O desenvolvimento infantil começa antes de um bebé nascer. O sistema neurológico de uma criança começa a formar-se na primeira semana de gestação e atinge a maturidade quando a mãe chega às quatro semanas de gravidez. Às 17 semanas o feto pode ouvir.

O que esperar do desenvolvimento infantil

Segundo o Prof. Paulo Oom, doutorado em Pediatria pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, existem dois fatores que determinam o grau de desenvolvimento infantil: a hereditariedade, isto é, o que a criança herda dos pais e o ambiente que a rodeia.

Estes dois fatores determinam assim um potencial para cada criança, que pode ser estimulado pelos pais. O papel dos progenitores é o de oferecer oportunidades de aprendizagem, que a desafiem e que façam com que as crianças desenvolvam todo o seu potencial cognitivo.

No entanto, o desenvolvimento infantil não é algo fácil de medir, algo que pode contribuir para alguma ansiedade nos pais.

Como se avalia o desenvolvimento infantil?

A preocupação com o desenvolvimento infantil adequado pode criar alguma ansiedade nos pais, principalmente quando se trata do primeiro filho.

Em cada consulta, o pediatra avalia o desenvolvimento da criança através de quatro áreas diferentes:

  • Postura e marcha;
  • Visão e manipulação de objetos;
  • Audição e linguagem;
  • Comportamento e relações sociais.

Estas áreas são avaliadas através de uma ferramenta denominada escala de Mary Sheridan, que prevê as capacidades que uma criança terá em cada uma das quatro áreas às 4-6 semanas, 3 meses, 6 meses, 12 meses, 18 meses, 2 anos e 4-5 anos. Para avaliar, por exemplo, o comportamento e relações sociais numa criança com 6 semanas, o pediatra verifica se o bebé olha para a mãe quando se alimenta, se sorri, se chora quando está desconfortável e se emite sons guturais em situações de prazer.

Importa salientar que a idade de aquisição das competências e comportamentos em crianças, apesar de existir uma progressão natural, é muito variável de criança para criança. Por esta razão, não deve causar ansiedade excessiva aos pais.

Como estimular o desenvolvimento infantil

Existem várias recomendações que os pais podem seguir para exercitar a cognição dos filhos:

  • Expor o bebé a diferentes texturas, visões e cheiros. Deixe-o tocar uma variedade de superfícies e exponha o bebé a uma grande variedade de visões e cheiros. Pegue na mão e toquem em coisas ásperas, macias, lisas, frias ou quentes.
  • Converse com o bebé. À medida que o bebé começa a falar, tente manter uma conversa e dê espaço para que a criança possa começar a intervir.
  • Cante uma música. Aprenda o máximo de melodias que puder ou invente os seus próprios versos.
  • Dê pistas. Quando diz, por exemplo, "Vou acender a luz agora" antes de clicar no interruptor, está na verdade a estabelecer uma ligação causa-efeito.
  • Partilhe o que está a ver. Leve o bebé a passear e narre o que você vê. "Isto é um cachorrinho" ou "Que árvores tão grandes!" ou "Ouviste aquele camião de bombeiros?" são alguns exemplos. Tudo isto ajuda o bebé a construir o vocabulário.
  • Vá às compras. Os rostos, sons e cores proporcionam um entretenimento perfeito para o bebé.
  • Mude o cenário. Pequenas mudanças de cenário vão estimular a criatividade e memória. Mudar a cadeirinha para o outro lado da mesa, por exemplo, faz com que a criança se tenha de esforçar para memorizar onde são colocadas as coisas.

 

Vigilância e rastreio do desenvolvimento infantil

A maioria dos bebés necessita apenas de uma vigilância contínua ao longo das consultas com o pediatra. No entanto, algumas crianças podem precisar de um teste breve ou rastreio, desenhado para identificar problemas específicos em determinada área e que permitem uma avaliação completa do desenvolvimento infantil.

Este teste de rastreio pode ser aplicado quando:

  • Os pais, familiares e educadores expressam preocupações com o desenvolvimento infantil de uma criança;
  • A criança apresenta fatores de risco;
  • A observação do pediatra levanta preocupações.

As diferentes etapas do desenvolvimento infantil podem sem dúvida ser estimuladas. Mas não é possível saltar etapas. Ou seja, a criança não vai conseguir sentar-se sem qualquer tipo de apoio se antes não tiver conseguido controlar a cabeça. Cabe aos pais guiar o desenvolvimento infantil e estar atentos aos sinais de evolução, bem como aos mecanismos de vigilância.