benefícios da cereja
Alimentos

Cereja: tão doce e quase um superalimento

Um pequeno fruto doce, suculento, carnudo e irresistível, onde saltam à vista os seus benefícios para a saúde. Saiba tudo sobre a cereja aqui. 

"Cereja no topo do bolo". Apesar do tamanho pequeno, a cereja brinda-nos com uma versatilidade e uma capacidade nutritiva que lhe fazem merecer todo o destaque e esta expressão de glória. Descubra todos os benefícios deste fruto.

Os benefícios da cereja

O que torna a cereja um quase, quase superalimento?

Nos benefícios da cereja destacam-se dois componentes: os ácidos fenólicos e os flavonoides. Estes componentes não são produzidos pelo nosso organismo e, por isso, têm de ser obtidos através da ingestão de alimentos, como a cereja.

O superpoder destes componentes é o seu efeito protetor na prevenção de alguns tipos de cancro (particularmente estômago e cólon) e de problemas cardiovasculares.

Para além deste grande benefício da cereja, existem muitos mais. 
  • Baixas calorias: apenas 100 g de cerejas (cerca de 9 ou 10 pares) fornecem 60 kcal.
  • Rica em vitaminas, minerais e antioxidantes: 9 a 10 pares de cerejas oferecem 231 mg de potássio, ou seja,  11,6% da dose diária recomendada; a cereja é também uma fonte interessante de vitamina C, vitamina A e de outros minerais como o cálcio e o fósfora; graças aos já referidos flavonoides, tem também propriedades antioxidantes;
  • Baixo índice glicémico: os açúcares presentes na cereja são absorvidos lentamente pelo organismo, mantendo a glicemia sanguínea (açúcar no sangue) num nível constante, permitindo desta forma controlar a sensação de fome;
  • Refrescante, laxativa e drenante: o sabor e alto teor de água, tornam a cereja um fruto refrescante. A presença de fibra alimentar solúvel, nomeadamente a pectina, ajuda no trato intestinal e a propriedade drenante/diurética da cereja está relacionada com o fruto ao natural, mas também com os pés da cereja seca, utilizado para preparação de tisanas.
Só não se pode dizer que a cereja é um superalimento porque estas substâncias podem ser encontradas também noutros alimentos.

Tipos de cerejas

À cerejeira os japoneses chamam Sakura, a árvore que protagoniza um dos espétaculos mais floridos no país do sol nascente. Em Portugal, a beleza da árvore também é reconhecida, mas aqui iremos falar dos sabores, texturas e corres diferentes que podemos encontrar no fruto.

A cereja do Fundão está classificada como produto de Indicação Geográfica (IG)



Existe uma grande diversidade de cerejeiras, mas em Portugal são quatro as espécies autóctones: Saco da Cova da Beira, Saco do Douro, Lisboeta e São Julião. Nos últimos anos foram introduzidas novas variedades de cereja, mais interessantes do ponto de vista comercial, uma vez que o fruto atinge maior calibre e tem melhor poder de conservação.

Dependendo da variedade, a cereja (doce) pode ter diferentes cores: amarela, vermelho-clara, vermelho-escura ou roxa.

Para além das diferentes variedades de cereja doce, existe uma espécie de cerejeira que produz uma variante ácida – que conhecemos com o nome de ginja. Ao contrário da cereja doce, a ginja tem uma polpa mais firme e é utilizada essencialmente na produção de compotas, conservas e bebidas licorosas, como é o caso da famosa ginjinha portuguesa.

A origem da cereja

A cerejeira é uma árvore de origem asiática. Acredita-se que seja indígena de países a sul das Montanhas do Cáucaso e do norte do Irão. É uma árvore de climas frios, em que os invernos são rigorosos e chuvosos.

Por isso, a Beira Interior é a região de maior produção em Portugal, seguindo-se Trás-os-Montes, Douro e Minho. Os pomares de cerejeiras situam-se, essencialmente, a norte do rio Tejo, com exceção da região de Portalegre (Serra de S. Mamede).

Em Portugal, destaca-se a Cereja do Fundão, classificada a nível nacional como produto de Indicação Geográfica (IG). Trata-se de uma cereja muito doce e de textura firme, características que advêm das condições edafoclimáticas do Fundão e apreciada em todo o mundo.

Como consumir cerejas

Maioritariamente, a cereja é consumida ao natural como sobremesa. Esta é também a forma mais saudável de o fazer. Contudo, podemos encontrar conservas de cereja em calda de açúcar, compotas e doces de cereja, e ainda cereja cristalizada.

A cereja vai bem em cocktails, batidos e gelados. Já em Óbidos, Alcobaça e Algarve protagoniza até um dos licores mais apreciados em Portugal, a Ginjinha ou Licor de Ginja.

Encontre as cerejas no Continente

A apanha da cereja em Portugal inicia-se em maio. Neste mês, salvo qualquer intempérie que tenha prejudicado ou atrasado a produção nacional, já pode encontrar as suas cerejas favoritas no Continente. A cereja nacional encontra-se no mercado desde meados de maio até meados de julho.